Vanessa Mae traz seu violino pop a São Paulo

A violinista Vanessa Mae, de 23 anos, poderia ser hoje a musa pop do piano. Esse foi o primeiro instrumento que a garota - que se apresenta em São Paulo, sábado e domingo, no Credicard Hall - tocou há 20 anos. "Queria ser pianista, mas como meu professor era muito chato fui me desinteressando do instrumento", diz Vanessa. Pela primeira vez em São Paulo e pela segunda no Brasil - ela já havia se apresentado no Rio de Janeiro -, Vanessa se diz atualmente interessada pela obra de Heitor Villa-Lobos. Mas o tipo de música que ela faz e vai mostrar em sua temporada brasileira é criação dela. Vanessa mistura referências clássicas para compor e tocar música pop e, muitas vezes, seu instrumento soa como guitarra. Ela chega a segurar o violino na altura da cintura, como uma guitarra de verdade. A técnica da jovem é inegável. Vanessa toca bem e poderia continuar se destacando no mundo da música clássica, mas optou pela mistura erudito-pop que vem dando certo: ela já vendeu 6 milhões de discos. "Acredito que minha música é universal e como não há letras, as barreiras são ainda menores." Vanessa nasceu em Cingapura, filha de pai tailandês e mãe chinesa. Começou a estudar piano aos 3 anos e sua transição para o violino foi aos 8 anos. Um ano depois ela já compunha com seu violino e aos 10 se apresentava no Festival Schleswing Holstein, com a Philarmonia Orchestra, no Reino Unido. Dois anos mais tarde, estava fazendo excursões internacionais pela Europa e pelos Estados Unidos tocando concertos para violino de Tchaikovsky e Beethoven. Quando resolveu deixar de tocar apenas os clássicos e a fazer de seu violino um instrumento de música pop, Vanessa estava com quase 16 anos. A mudança de estilo musical foi uma sugestão do seu empresário. "Sempre gostei de vários ritmos e compositores. Adoro o Michael Jackson e o Prince, assim como o Tchaikovsky. Foi meu agente quem me aconselhou a tentar criar um novo estilo de música e resolvi arriscar. Em algumas épocas, só pratico clássicos e em outras fico somente no pop. No momento, estou na segunda fase." Serviço: Credicard Hall - Avenida Nações Unidas, 17.995 Tel.: 5643-2633 Preços: de R$ 30 a R$ 230,00

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.