Vander Lee quer conquistar o Brasil

Para muitos, o nome Vander Lee nãosoará familiar. Com exceção de Minas Gerais, onde o cantor ecompositor nasceu, fez carreira e vive até hoje. Mas algumas desuas canções já foram bastante executadas em rádios de MPB, com outras vozes. Por alguma razão, as cantoras são as que melhor traduzem seu estilo, como a maranhense Rita Ribeiro, em Contra o Tempo, e Gal Costa, que registrou Onde Deus Possa me Ouvir, no CD Gal BossaTropical. Alcione também separou uma música dele para seupróximo CD. Mas não há uma mulher tão importante em sua carreiraquanto a veterana Elza Soares. Foi ela a responsável por todosos olhares se voltarem para seu trabalho. Por volta de 1998,Elza passou por Belo Horizonte, para uma noite de autógrafos desua biografia Cantando Para Não Enlouquecer. Vander foi até olocal, lhe presenteou com seu CD, No Balanço do Balaio, e pediupara que ela o ouvisse. Duas semanas depois, Elza ligou para eleentusiasmada, dizendo que queria gravar a música Subindo aLadeira (dele e Rossana Decelso). Apesar de Elza executá-la em shows, o registro da cançãoficou na vontade até o ano passado, quando o cantor praticamenteintimou sua "madrinha" a ir a Minas e fazer uma participaçãojustamente em Subindo a Ladeira, que ele queria gravar em seunovo CD, Vander Lee - Ao Vivo, lançado pela Indie Records.Registrado em julho do ano passado, no Teatro Francisco Nunes,em Belo Horizonte, é o terceiro disco da carreira do compositore no qual ele deposita todas as fichas para ampliar seu públicopara além das fronteiras mineiras, onde já tem um trabalhoreconhecido. "Foram vendidas 3,5 mil cópias em um mês, nas minhas apresentações e emlojas de Belo Horizonte. Na semana do Natal, meus discos estavamesgotados", comemora. É um trabalho honesto, no qual Vander fezquestão de manter todas as imperfeições técnicas e sonoras, semnenhum tipo de ´maquiagem´. "O que tem no CD é o que rolou, nãofoi feito ao vivo e depois refeito. É uma atitude perigosa nummercado tão nocivo." Em Vander Lee - Ao Vivo, ele procurou também dar ênfaseao lado de intérprete, concedendo a versão de autor àscomposições de sua autoria. Incluiu músicas bem-sucedidas na vozde outrem e algumas pinçadas de seus dois discos anteriores (epraticamente inéditas), como Chazinho com Biscoito, Sonhos ePernas, Românticos e Contra Tempo. Um dos finalistas do 6.º Prêmio Visa de MPB - EdiçãoCompositores no ano passado, o compositor, de 37 anos e que compõedesde os 16, como bom mineiro, parece não ter pressa. Este ano, ele pretendedesbravar o Brasil, aos poucos, com shows no mesmo formato queutilizou na gravação do CD ao vivo: sem banda, apenas combanquinho, voz e violão. Não gosta de fazer projeções devendagem, mas acredita que este trabalho lhe trará muitasalegrias e colocará um ponto final no estigma de novato quecarrega até hoje, fechando assim um ciclo de sua carreira.

Agencia Estado,

18 de fevereiro de 2004 | 18h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.