Usina do Som altera serviço e conteúdo

A Usina do Som, um dos maioressites de música do País, com cerca de 1,7 milhão de usuários,está alterando seu serviço de distribuição. A partir do dia 5 demarço, o acesso ao conteúdo musical do site será permitidoapenas aos internautas que criarem ou já tiverem sua rádiopessoal. "Estamos nos adequando às regras do mercadointernacional e construindo um marco muito importante para aconsolidação e desenvolvimento da indústria digital no Brasil",disse o diretor-superintendente Tércio Pacitti. Para fazer as mudanças, a empresa baseou-se em um estudorealizado no último trimestre do ano passado. Essa pesquisamostrou que os usuários valorizam o serviço de montagem de rádiopessoal. Isso pode ser comprovado pelo número de rádios pessoaisda Usina do Som, que é de cerca de 2,7 milhões, ou seja, 1milhão a mais do que o número total de usuários. Outro dado dapesquisa indicou que o número de internautas que acessam o siteapenas para ouvir as músicas é de apenas 20%. Nessa reformulação, o usuário poderá ouvir 30 segundosde música, antes de incluí-la na programação da sua rádio. Osite oferece cerca de 100 mil músicas de mais de 13 mil artistas de todas as tendências. No final do ano passado, a Usina do Somfechou acordo com as gravadoras Universal, Abril Music e EMIpara o pagamento de royalties. E, segundo Pacitti, estão emandamento acordos do gênero com a Warner, BMG, Sony e gravadorasde selos independentes. Um dos maiores desafios deste segmento, na avaliação dodiretor-superintendente da Usina do Som, é descobrir um modeloque sustente os royalties pagos às gravadoras, um montante quepode representar cerca de 40% dos custos totais do site, epropiciar ao usuário um serviço de valor, sem comprometerfinanceiramente a empresa. "Estamos em busca disso e, temos certeza, este ano serámelhor do que o ano passado e poderemos, inclusive, atingir onosso ponto de equilíbrio financeiro", afirmou. Os usuários da Usina do Som irão receber um comunicadoinformando as alterações que passam a vigorar a partir do dia 5.Além dessa mudança, a direção do site pretende ampliar algumasferramentas que possibilitam um maior conhecimento do perfil dousuário para que os serviços oferecidos estejam mais próximosdos interesses dos internautas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.