Uruguai recorda os 71 anos da morte de Carlos Gardel

O Uruguai inaugurou na terça-feira uma semana de eventos para recordar os 71 anos da morte do cantor de tangos Carlos Gardel, um dos maiores ícones do gênero musical. As comemorações prosseguem até o dia 27 de junho.Na denominada "Semana Gardeliana" foram programadas uma série de atividades artísticas, exibições e conferências sobre o cantor. Os uruguaios rechaçam a suposta nacionalidade francesa de Gardel, e afirmam que o cantor nasceu na cidade de Tacuarembó, a 380 quilômetros ao norte de Montevidéu.Os eventos em homenagem ao "Zorzal Criollo" serão realizados em museus, clubes privados e no Palácio Legislativo, sede do Parlamento, segundo detalhou a Federação Uruguaia de Tango.Na antiga casa de Gardel, no bairro Carrasco, em Montevidéu, serão exibidos partes de filmes que contaram com a atuação do cantor, também conhecido como "Morocho del Abasto".O Salão dos Passos Perdidos do Palácio Legislativo terá nesta quarta-feira uma apresentação com destacadas personalidades de tango, como Marino Rivero e Olga Delgrossi, junto a Orquestra Municipal de Tacuarembó e do grupo de dança Tacutango.Gardel morreu em 24 de junho de 1935, em um acidente no aeroporto de Medella, Colômbia, quando a aeronave em que viajava chocou-se com outro avião estacionado na pista.Quando morreu, Gardel estava viajando pelo continente para divulgar seus filmes. No dia 23 de junho de 1935, fez sua última apresentação, no teatro A Voz de Bogotá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.