Universal pede prestação de contas a Lobão

A gravadora Universal divulgou nota nesta tarde,informando que o selo MZA, do produtor Marco Mazola, enviou uma notificação oficial à produtora Universo Paralelo, docompositor Lobão, pedindo prestação de contas e pagamento de direitos autorais pela participação do cantor Zéca Baleiro nafaixa Uma Delicada Forma de Calor, no disco A Vida é Doce, lançado em 1999. Lobão nega ter recebido qualquer documento, einterpretou a ameaça como revanche por seu empenho na aprovação da lei (vetada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso)que obriga a numeração dos discos, livros e outras outras obras intelectuais produzidas em série."Na época da gravação, estava apalavrado com o Zeca Baleiro que ele não receberia nada pela participação no meu disco", lembrou Lobão. "A Universal está usando dois pesos diferentes, pois o grupo Biquini Cavadão gravou a música Me Chama, que éminha, sem me pedir autorização ou me pagar por isso. Além disso, o Mazola, que é o dono da gravadora, já me garantiu quenão quer dinheiro nenhum por isso".Mazola, no entanto, não foi encontrado nesta tarde. Segundo sua secretária, na gravadora MZA,ele está nos Estados Unidos desde a semana passada e só volta em agosto. Ela não soube dar qualquer informação sobre anotificação da Universal, que distribui os discos lançados pela MZA.Zeca Baleiro também está fora do País, apresentando-se em festivais da Europa. Além dele, o selo MZA tem contrato com ocompositor Chico César e com a cantora Rita Ribeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.