TV americana vai lançar astro country gay

O público country está preparado paraabraçar um astro abertamente gay? Este é o desafio que oprodutor musical Larry Dvoskin vai lançar aos Estados Unidos apartir de setembro, em forma de um reality show. O projeto éuma espécie de Fama misturado com o seriado gay Os Assumidos, com o dia-a-dia da escalada dos concorrentes para o sucesso.Ele aproveita a boa recepção dos recém-lançados programas The QueerEye for the Straight Guy e Boy Meets Boy, do canal Bravo.Dvonski, que já trabalhou com nomes como David Bowie e RickyMartin, teve a idéia depois de discutir com um amigo. O produtor, que é gay, acha que mesmo com todo o conversadorismo dos fãs decountry music, é possível lançar um novo astro da mesma opção. Oprojeto começou a tomar fôlego quando, por conta da aposta com oamigo, Dvonski publicou um anúncio em um jornal de Nashvilleprocurando um cantor country gay. A repercussão foi maior do quea esperada.O vencedor do concurso vai ter de reunir beleza, boa voz etalento para o country, idade entre 18 e 23 anos e estardisposto a virar um porta-voz da causa. Os produtores também vãodar preferência para candidatos nascidos em Nashville (a mecacountry americana) ou outros estados do sul dos Estados Unidos -justamente a região mais conservadora do país.A baixa tolerância do público country ficou clara em março,quando as Dixie Chicks viraram alvo de polêmica por conta de umcomentário anti-Bush. O trio feminino teve de se desculpar e foiboicotado por algumas emissoras do rádio do Texas, o estadonatal das integrantes e do presidente. Na opinião do atorMatthew McConaughey, também texano, os fãs de música country sãoos mais conservadores do país. "E as pessoas têm um certoorgulho disso", disse, em entrevista à Planet Pop.Por outro lado, a curiosidade pelo modo de vida gay vemaumentando a passos largos. Com a linha que divide a músicacountry do pop ficando cada vez mais diluída e a obsessão pelosreality shows se mantendo em alta, é perfeitamente possível queo país aceite um novo astro - desde que a estratégia demarketing seja eficiente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.