Turnê do Pearl Jam rende mais 47 CDs

Se a década de 90 ficou marcada como a era do Nirvana e seu hino grunge, Smells Like Teen Spirit, o Pearl Jam herdou a dura missão de manter acesa a chama do som de Seattle no novo século. Ainda que mais melódica e menos performática, a banda comemora uma década de existência um pouco assombrada pela morte de Kurt Cobain, que se suicidou há sete anos e levou o Nirvana junto.Já o Pearl Jam, que se destaca pela figura tímida e idealista de Eddie Vedder, sobrevive às armadilhas do show biz dando aos fãs justamente o contrário: vida nova a cada lançamento. E olhe que as novidades não têm sido poucas. Depois dos 25 CDs ao vivo da turnê européia de Binaural, seu último álbum de estúdio, chega aos poucos ao Brasil a coleção completa da fase norte-americana da excursão. Os 47 álbuns duplos - que custam em média R$ 50 - seguem a mesma linha dos europeus. Todos levam uma embalagem de papelão imitando CDs piratas, nenhum encarte e sonoridade bem crua, sem truques de produção.Cigarros e bebidas - A vantagem maior em se obter a coleção completa dos discos (europeus e norte-americanos) é, sem dúvida nenhuma, o número variadíssimo de músicas em cada set list. Na Europa, a banda soltou de cara 70 canções, mesclando o repertório ainda mais do que nos EUA, onde apresentou 21 números diferentes da fase inicial. No total, 91 faixas estão ao alcance do fã mais abnegado e exigente.As covers de Interestellar Overdrive, do Pink Floyd, e Baba O´ Riley, do The Who, por exemplo, se destacam entre as raridades interpretadas por Vedder. Já a canção original mais executada nos bootlegs oficiais é Corduroy, seguida por Better Man e Even Flow - esta última do álbum seminal Ten, que impulsionou a banda a cruzar as fronteiras do pop. Ainda amarrado a contratos milionários com cervejarias e indústrias de cigarros, os empresários brasileiros dificilmente convencerão o Pearl Jam a tocar por aqui, caso não mudem de estratégia (a banda se recusa radicalmente a fazer shows que levem o patrocínio destes itens e já cancelou duas vindas ao Brasil). Por causa disso, o lançamento do DVD Touring Band 2000 (Sony/Epic - R$ 50 em média) pode servir como um alento dos mais interessantes. O disquinho traz nada menos que 177 minutos inéditos da banda em suas andanças pela Europa, Estados Unidos e Canadá. Além das performances sempre contundentes e emocionais de Vedder em Given To Fly, Even Flow, Go, Nothing As It Seems, Jeremy, e mais 23 faixas, o DVD ganha mais poder de fogo com a inclusão de canções inéditas, imagens de bastidores e dois clipes.A questão dos clipes, aliás, virou ponto crucial para o Pearl Jam, que depois de Jeremy, em 92, raramente optou por investir nessa forma de mídia. A razão foi justificável, já que muitos espectadores interpretaram mal a história do garotinho que acaba usando mal uma arma de fogo. No DVD Touring Band, os americanos têm disponível comercialmente, pela primeira vez desde sua transmissão na VH-1 e MTV, as edições visuais de Do the Evolution e Oceans. Disputa grunge - Praticamente anônimos nas paradas, que tinha o álbum Nevermind, do Nirvana, como nome da vez em agosto de 1991, o grupo só decolou um ano depois do lançamento de Ten, em meados de 92. Ainda assim, os membros do Pearl Jam fizeram questão de manter os pés no chão, seguindo um estilo simples de vida, sem as mansões, jóias e outras ostentações comuns ao mundo rock.Cinco bateristas e seis discos de estúdio mais tarde, Stone Gossard (guitarra-base), Mike McReady (guitarra-solo), Eddie Vedder (vocal e guitarra), Jeff Ament (baixo) e Matt Cameron (bateria) se preparam para retornar ao estúdio e lançar uma caixa repleta de raridades. Entre elas, diversos lados-B e singles do fã-clube oficial. Devem ser incluídas no pacote faixas como Wash, Yellow Ledbetter, Dirty Frank, I´ve Got A Feeling - cover dos Beatles escondida e não listada na versão japonesa de Ten - Footsteps, Black, Red, Yellow, Angel, Crazy Mary, State of Love And Trust, entre outras pérolas. A caixa de raridades, que deve sair antes deste Natal, será mais um capítulo na rivalidade entre Kurt Cobain e o Pearl Jam (Cobain não era de muitas palavras com Vedder e cia).Tudo depende do "sim" da viúva Courtney Love, que tem nas mãos o poder de lançar um extenso material de arquivo para os milhões de órfãos do Nirvana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.