David McNew/AFP
David McNew/AFP

Trump se oferece como garantia do rapper ASAP Rocky detido na Suécia

Presidente afirmou no sábado estar preparado para responder pessoalmente pelo rapper detido na Suécia após uma briga; promotores suecos têm até o dia 25 de julho para apresentar acusações contra o artista ou libertá-lo

Redação, AFP

20 de julho de 2019 | 18h50

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste sábado, 20, estar preparado para responder pessoalmente pelo rapper americano ASAP Rocky, detido na Suécia após uma briga no dia 30 de junho.

De acordo com ASAP, a briga aconteceu porque ele e seus companheiros foram seguidos por 'viciados em drogas' desconhecidos que assediavam mulheres que passavam pela rua. "Nós não queríamos confusão, eles nos seguiram por quatro quarteirões",  escreveu em seu Instagram pessoal, onde divulgou o vídeo da briga. Uma das supostas vítimas de ASAP está sendo investigada por abuso e tentativa de agressão.

Trump tuitou que havia falado com Stefan Lofven, primeiro-ministro sueco, que lhe disse que o cantor teria um acordo justo.

"Assegurei a ele que o cantor de rap ASAP não fugiria e me ofereci para responder pessoalmente como garantia por sua fiança, ou uma alternativa", escreveu Trump.

Na Suécia, no entanto, não existe a possibilidade de ser libertado sob pagamento de fiança.

Seguidores do cantor, outros artistas e membros do Congresso haviam pedido a libertação do rapper de 30 anos, cujo nome real é Rakim Mayer.

Os promotores suecos têm até o dia 25 de julho para apresentar acusações contra o artista ou libertá-lo, após o tribunal de Estocolmo atrasar o prazo, originalmente previsto para a última sexta-feira, 19.

Trump, que interveio nesse caso a pedido do rapper Kanye West e sua mulher, Kim Kardashian, disse ainda que combinou com Lofven de se falarem novamente nas próximas 48 horas. ASAP Rocky é ex-namorado de Kendall Jenner, irmã de Kim Kardashian.

As autoridades suecas detiveram outras três pessoas junto com Mayer, sendo um deles o guarda-costas do artista, que foi libertado posteriormente.

Mayer afirma que atuou em legítima defesa após a perseguição de dois jovens a sua comitiva.

Em vídeo amador divulgado inicialmente pelo site de notícias TMZ, o artista joga um homem no chão e o atinge várias vezes.

No entanto, Mayer publicou os próprios vídeos em sua conta do Instagram, que mostram momentos antes da briga, quando havia uma discussão entre dois jovens e o rapper, o qual pedia repetidamente ao homem e seu amigo que deixassem de segui-lo.

Também se vê um dos jovens bater em um membro da comitiva do artista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.