Kirsty Wigglesworth/AP
Kirsty Wigglesworth/AP

Trump chama Madonna de 'repugnante', após discurso da cantora em protesto

Presidente dos EUA respondeu às críticas feitas pela cantora durante a Marcha das Mulheres

O Estado de S.Paulo

27 Janeiro 2017 | 22h31

Donald Trump, presidente norte-americano, chamou Madonna de "repugnante" durante uma entrevista a Sean Hannity, do canal de TV Fox News, na última quinta-feira, 26, em resposta ao discurso da cantora durante a Marcha das Mulheres em Washington D.C. Na ocasião, a cantora afirmou que queria explodir a Casa Branca. 

"Ela faz muito mal para si mesma, mancha toda uma causa", disse Trump sobre a icônica cantora pop, segundo o The New York Post. "Achei que o que ela disse foi vergonhoso para o nosso país", concluiu. 

Madonna fez o comentário durante uma imensa marcha em D.C., no último sábado, 21. "Pensei em explodir a Casa Branca, mas sei que isso não vai mudar nada", disse ela à plateia, que foi estimada por cientistas em quase meio milhão de pessoas - tranquilamente três vezes maior que a posse de Trump.

Madonna recebeu muitas críticas pelo comentário, incluindo do Chefe de Estado da Casa Branca, Reince Priebus, e insinuações de investigação pelo sérvio secreto dos Estados Unidos, feitas pelo conselheiro de Trump, Kellyanne Conway. Newt Gingrich condenou a cantora por fazer parte de um “crescente fascismo de esquerda” e disse que ela “deveria ser presa". Em uma postagem já deletada no Instagram, Madonna esclareceu que os comentários dela foram “tirados de contexto”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.