Trio elétrico de Gil se prepara para o carnaval

As últimas semanas têm sido de muitafarra (e trabalho) na sede da GG Produções, produtora doministro da Cultura, Gilberto Gil. Enquanto ele corre atrás dedinheiro para sua pasta, sua banda prepara o trio elétricoExpresso 2222, que circula na orla de Salvador, de sexta-feira àterça-feira gorda, do Farol da Barra ao bairro de Ondina. Peloestúdio, no Rio, já passaram - ou vão passar - Caetano Veloso,Paula Toller, Mart´Nália, Sandra de Sá e Armandinho. Naquarta-feira, quem ensaiou foi Toni Garrido, que faz o trioelétrico há três anos, e dois estreantes no 2222, Elza Soares eArnaldo Antunes."O carnaval baiano foi uma das experiências maisimpressionantes de minha vida. Eu tinha 16 anos e vi aquelamassa toda pulando, cantando e nunca mais me esqueci", lembraArnaldo, que se apresenta no domingo de carnaval, com Gil, Elza,Caetano, Mart´Nália e Toni Garrido. "Vou cantar músicas dosTitãs, dos Tribalistas e Eu Vou Ficar aqui, que a Elzagravou. Já fui também no sambódromo e adorei, mas é a primeiravez que canto num trio elétrico."Elza, que é veterana de carnaval, gravou sambas queviraram clássicos do carnaval carioca, como Salve a Mocidade("lá vem a bateria da Mocidade Independente/ Não existe maisquente, não existe mais quente...") e Bahia de Todos osDeuses, ainda não havia definido seu repertório. "Bahia e Riosão completamente diferentes. Aqui o desfile conta uma história,lá é festa do povo, na rua. Ainda não decidimos o que vamoscantar. Tem tanta coisa...", justifica ela. O certo é que Gilnão abre mão de acompanhá-la, pois eles nunca dividiram palco noBrasil. "Mas em Londres, sim. Foi ótimo", lembra Elza.Toni Garrido ressalta que o Expresso 2222 vai além docarnaval baiano. "Tem o balanço, mas também toca frevospernambucanos, baianos, do Armandinho, de Dodô e Osmar. Alémdisso, é de graça, todo mundo vai", diz Toni, explicando que osoutros promotores cobram pelo abadá (túnica que os identifica,que pode passar de R$ 200,00 por pessoa). "Enquanto o ministrorala, a banda dele está aqui preparando a festa."Os filhos de Gil também participam. Nara e Preta cantame Bem toca na banda, Discretos, Nara e Bem evitam até sair nasfotos, enquanto Preta, que está se lançando como cantora,confessa seu encantamento. "Estou aprendendo com essas feras",elogia ela que, para o primeiro disco, preferiu compositores desua idade a músicas do pai ou dos medalhões da geração dele, quecertamente não negariam essa gentileza ao amigo. "Faço afoxéfunk com os Novos Bárbaros, porque minha turma é Davi Moraes, osfilhos do Paulinho Boca de Cantor e de outros membros dos NovosBaianos."Cada artista do Expresso 2222 ensaia cinco músicas deseu repertório, mas todo mundo participa do show dos outros. "Émeio misterioso como tudo acontece, porque o pessoal não pára decantar nas quatro ou cinco horas do desfile", adianta aprodutora-executiva Fafá Giordano. Ela explica que este ano sãotrês patrocinadores, o Bradesco (R$ 400 mil) e o supermercadoExtra (R$ 200 mil), através da Lei Rouanet, e o Mastercard, quefinancia também o camarote do 2222, mas entrou sem renúnciafiscal. "Esses patrocínios foram decididos no ano passado,quando Gil nem pensava em fazer parte do governo."Esse detalhe (importante) pode inviabilizar o trioelétrico no ano que vem. O 2222 é produzido por Flora Gil, comas leis de incentivo fiscal e, ao assumir o Ministério daCultura, Gil já avisou que sua mulher não vai recorrer a esserecurso legal, enquanto ele for titular da pasta. "Mas Gil nãoabre mão do trio elétrico e Flora faz para atendê-lo", avisaFafá. "Mas não estamos preocupados com 2004. Por enquanto, sóqueremos fazer bonito este ano."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.