Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Tributo homenageia Cazuza e seu pai

O produtor musical João Araújo, pai do cantor que reapareceu no show em forma de holograma , morreu de parada cardíaca nesse sábado, 30

Murilo Bomfim, O Estado de S. Paulo

01 de dezembro de 2013 | 00h06

O tributo que ocorreu nesse sábado, 30, no Parque da Juventude, era uma homenagem a Cazuza, mas ganhou outro protagonista. Na manhã desse sábado em que o poeta reapareceu em forma de holograma, seu pai, João Araújo, de 78 anos, morreu depois de sofrer um enfarte em casa, no Rio. O velório ocorreu na capela 1 do Cemitério São João Batista, em Botafogo, na zona sul.

“Homem forte e querido por todos, Big John, como era conhecido, fundou a Som Livre e foi fundamental na música popular brasileira”, diz Nilo Romero, diretor musical de Cazuza e, também, do tributo. Após 38 anos à frente da gravadora, Araújo se tornou um dos executivos mais importantes da indústria fonográfica do País.

Um dos fundadores do Barão Vermelho, Guto Goffi também sentiu a partida de Araújo. “O João ajudou a gente a começar. Ficou nosso amigo porque ajudamos o Cazuza a encontrar um caminho com o Barão”, diz.

Show. Previsto para começar às 21h, o show foi aberto sem atrasos pela apresentadora Mariana Weickert. Depois, o público de 29.600 pessoas pôde ouvir, sob chuva fina, Gal Costa cantando Brasil. Em entrevista ao Estado, ela lembrou que Araújo era um visionário. “Ele foi o responsável pelo disco Domingo, que gravei com Caetano, em uma época em que nós não tínhamos potencial para fazer um disco cada um”, conta.

Por volta de 22h30, Cazuza apareceu na forma de um holograma, em um telão localizado atrás da banda. O efeito não produziu, porém, um aspecto de realidade, já que o tamanho do cantor era menor em relação à banda e era difícil distinguir os traços de seu rosto.

A aparência do holograma era a de um clipe. Ele acompanhou cinco canções no final do show. O pequeno delay entre a imagem e as músicas não chegou a incomodar. O ponto alto foi a reprodução de um áudio original de Cazuza, em que conversava com a banda. No final, a plateia cantou a capela dois sucessos do cantor: "Bete Balanço" e "Pro Dia Nascer Feliz".

Tudo o que sabemos sobre:
cazuzajoão araújohologramarock

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.