Eric Thayer/Reuters
Eric Thayer/Reuters

Três testamentos de Aretha Franklin são encontrados um ano após sua morte

Documentos estavam na casa da cantora, em um subúrbio de Detroit, e foram feitos em 2010 e 2014

Redação, AP

21 de maio de 2019 | 11h40

Três testamentos manuscritos foram encontrados na casa de Aretha Franklin em um subúrbio de Detroit, meses após a morte da Rainha do Soul.

O mais recente, de março de 2014, estava escondido sob as almofadas da sala, disse um advogado na segunda-feira. O documento parece conceder os bens da famosa cantora aos seus parentes. Os testamentos foram escritos com uma letra difícil de decifrar e estão com palavras riscadas. 

Franklin tinha 76 anos quando morreu em agosto passado de câncer de pâncreas. Advogados e parentes da estrela disseram na época que ela não havia deixado um testamento. As três versões manuais foram encontradas neste mês. Dois de 2010 estavam em um gabinete fechado e apareceram quando a chave foi encontrada. A versão de 2014 estava em um caderno sob as almofadas, disse o advogado dos herdeiros de Franklin, David Bennett.

Bennett, que foi o advogado da cantora por mais de 40 anos, apresentou as vontades às autoridades na segunda-feira. Ele disse a um juiz que não tem certeza de que eles são legais de acordo com a lei do Michigan. Uma audiência será realizada no dia 12 de junho.

Uma declaração dos herdeiros diz que dois deles se opuseram aos documentos. Sabrina Owens, administradora da Universidade de Michigan, é a representante pessoal dos herdeiros. "Ela permanece neutra e espera que todos os envolvidos tomem decisões inteligentes em nome de sua mãe", diz a declaração. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Aretha Franklin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.