"Todos os Cantos" abre sua 4ª edição

Apesar de serem desconhecidos no Brasil e terem nomes impronunciáveis, muitos músicos de países como Argélia, Mali ou Finlândia têm contribuido para renovar e abrir os fechados mercados de música de língua inglesa no mundo todo, criando um novo diálogo multicultural. Para provar essa teoria, começa amanhã o maior festival de música étnica do País, o Todos os Cantos do Mundo, no Sesc Pompéia. Organizado pela cantora, pesquisadora e especialista em tradições musicais de várias partes do mundo, Fortuna Safdié, o festival ocorre de quinta a domingo, durante duas semanas.À cada noite, apresentam-se uma atração nacional e uma internacional que, ao fim de seus respectivos shows, dividem o palco para interpretar uma música juntos. A programação começa às 18 h com um inusitado encontro entre o multinstrumentista e compositor pernambucano Antônio Nóbrega e o guitarrista africano Habib Koité.Boca do crocodilo - Acompanhado pela sua banda Bamada (que significa "na boca do crocodilo"), Habib Koité vai mostrar sua música influenciada pelas canções e histórias do povo griots, uma etnia do oeste de Mali, onde cresceu. Com um toque suave, Koité toca blues com características regionais de sua terra natal. Antes, Antônio Nóbrega apresenta músicas dos aclamados discos Na Pancada do Ganzá e Madeira que Cupim Não Rói, além de canções brasileiras tradicionais e de autoria de outros artistas pernambucanos. Para quem perder o encontro, a dose irá se repetir na sexta-feira, às 21 h Para esta nova edição do Todos os Cantos, Fortuna escolheu representantes de diversas correntes da música mundial. Além de Habib Koité e Antônio Nóbrega, o festival traz ainda outras três atrações estrangeiras e três nacionais. No sábado, às 21 h, e domingo, às 18 h, o cantor e compositor paulistano Arnaldo Antunes faz a primeira apresentação da noite. Para o repertório foram escolhidas basicamente canções do novo CD Paradeiro, seu quinto trabalho-solo, co-produzido por Carlinhos Brown. Em seguida, sobe ao palco a cantora canadense Mary Jane Lamond, mostrando canções tradicionais celtas com arranjos atuais. A artista canta no dialeto gaélico-escocês, de origem celta. Na segunda semana do festival realizam-se os encontros de Alceu Valença, uma das maiores referências da música popular nordestina, com um autêntico representante da música cigana, o francês Thierry "Titi" Robin, e do cantor e compositor maranhense Zeca Baleiro com o grupo finlandês Värttinä. Thierry "Titi" Robin, multi-instrumentista, compositor e arranjador, é um músico autodidata francês apaixonado desde criança pelas músicas e tradições ciganas. Com mais de dez anos de carreira, o músico se apresenta ao lado de Alceu Valença nos nos dias 22 e 23, às 21 h. Já o Värtinnä é um pouco mais conhecido em terras tupiniquins do que os demais. A banda participou no começo do ano do festival Rock In Rio 3, além de tocar ao lado de estrelas pop do quilate de Alanis Morissette, Bryan Adams e Crash Test Dummies. Surgido em 1983 na Finlândia, o Värttinä é conhecido como o grupo regional mais bem-sucedido daquele país. A mistura de vocais femininos, música contemporânea e instrumentos líricos para fazer uma leitura de temas nativos garantiu à banda vários prêmios e primeiros lugares nas paradas de World Music das rádios européias e americanas. Os shows do Värtinnä com Zeca Baleiro ocorrem nos dias 24, às 21 h, e 25, às 18 h.Todos os Cantos do Mundo - Sesc Pompéia, Rua Clélia, 93, tel.: 3871-7700. De qui. a sáb., às 21 h; dom., às 18 h; R$ 25.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.