REPRODUÇÃO
REPRODUÇÃO

Tina Turner, 80 anos: veja cinco apresentações históricas da rainha do rock

Tina, oito décadas nesta terça, 26, é a mulher mais importante da passagem do R&B para o rock, desde os anos 1970, ao lado de Ike Turner cantando 'Proud Mary', até a explosão de sucessos como 'The Best'

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2019 | 19h31

Tina Turner chegou aos 80 anos. Desde 2015, a mulher considerada detentora de uma das dez maiores vozes do pop renunciou à sua cidadania norte-americana dizendo que não se sentia mais ligada emocionalmente ao país e partiu para viver em Küsnacht, na Suíça. Tina, poucos tampouco sabem, é suíça. O Estado preparou aqui, no clima dos 80 anos da diva que surgiu em 1955, na banda The Kings of Rhythm, cinco momentos de palco em que mostrou porque o mundo se ajoelhava quando ela entrava em ação. 

1. Proud Mary 1971

A música Proud Mary, escrita por John Fogerty, da banda de rock Creedence Clearwater Revival, foi um dos sucessos da fase em que Tina esteve casada com Ike Turner. Havia no palco uma simbiose incrível (perceba os graves poderosos de Ike contrastando com os agudos rasgados de Tina), mas a vida doméstica era bem diferente. Ike batia em Tina, e o mundo foi saber disso depois, em entrevistas da própria cantora.

2. Cose Della Vita 1998

Tina foi ao topo das maiores vendagens de sua carreira ao gravar com o italiano Eros Ramazzotti a música Cose Della Vita. Aqui, eles cantam em Munique, 1998. A plateia vai abaixo com sua entrada e é curioso como ela usa o tom de Eros, indo a um grave difícil para as mulheres. 

3. We Are the World, 1985

Não era para ser assim, os holofotes deveriam ficar em Michael Jackson, um dos líderes do grupo, mas Tina se sobrepôs naturalmente e, ao lado de Bruce Springsteen (que faz um dueto onesquecível com Stevie Wonder), se tornou uma das rainhas dentre os 45 artistas norte-americanos que se juntaram para uma das ações mais comoventes da história. We Are The World chamou a atenção para a fome da África e enviou a maioria dos lucros das doações e compras do disco para a Africa Foundation, que atendeu família sobretudo na Etiópia.

.

4. The Best, Barcelona, 1998

Na gravação original, quem toca o sax é o irmão de Johnny Winter, da lenda do blues, Edgar Wynter. Esta foi considerada a música de maior sucesso de Tina Turner em todo o mundo. Em 1993, durante um show que fazia de Tina Turner em 1993, ela chamou ao palco Ayrton Senna, que estava com a então namorada Adriane Galisteu, para cantar a ele em um momento emocionante.

5. Proud Mary, 2008-2009

Quando chegou aos 50 anos de carreira, 68 de idade, Tina saiu em turnê para 89 shows em um ano mesmo tendo anunciado a aposentadoria. A gira se chamou Tina!: 50th Anniversary Tour. Ela estava fora dos palcos havia oito anos. Em fevereiro de 2008, participou do 50° Grammy Awards e foi ovacionada pela plateia quando fez um dueto com a cantora Beyoncé. Um momento que fica para a história.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Tina Turnermúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.