Timberlake e Beyoncé ganham o Brit Awards

Justin Timberlake ganhou o prêmio de melhor artista masculino internacional e melhor disco internacional (Justified) na entrega do Brit Awards, uma espécie de Grammy inglês, na cerimônia realizada hoje em Londres. Beyoncé Knowles ganhou o prêmio de melhor artista feminina internacional - ambos norte-americanos. A grande vencedora do Grammy dividiu o palco com o duo Outkast e fez o show da noite. Entre os ingleses, a grande vencedora é a banda The Darkness, que recebeu três troféus: melhor álbum britânico, melhor banda britânica e melhor banda de rock britânica. O Darkness experimentou o sucesso no ano passado, com seu rock glamour afetado, cheio de referências ao heavy metal à la Judas Priest e Def Leppard. Uma das razões para a banda ter caído no gosto do público é que trouxe o humor de volta ao rock. A cantora Dido também se saiu muito bem, faturando os troféus de melhor single britânico, por White Flag e melhor artista solo feminina inglesa. E a banda Busted ganhou os prêmios de melhor performance pop e revelação britânica. Já o cantor inglês Daniel Bedingfield levou o prêmio de melhor artista masculino solo britânico.Ainda na disputa pelos troféus não ingleses, o White Stripes levou para os Estados Unidos o troféu de melhor banda internacional. O rapper 50 Cent ficou com o prêmio de revelação internacional. Uma justa homenagem foi feita ao Duran Duran. A banda de pop eletrônico que agitou pistas de dança da década de 80 com hits como Save a Prayer recebeu um Brit Award por sua marcante contribuição à música. Justin Timberlake, um dos vencedores desta edição do prêmio, foi ao palco entregar a honraria.Beyoncé Knowles arrasou, mais uma vez, em sua apresentação com o duo americano Outkast. Ela subiu ao palco do Earls Court de Londres com um vestido que vale US$ 475 mil, confeccionado pelo estilista Roberto Cavalli. Nos detalhes, o vestido mostrava o motivo de seu alto valor: uma longa faixa de brilhantes sobre o tecido continha diamantes.Veja o site do Brit Awards 2004

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.