Tiësto, o DJ nº 1 do mundo, faz turnê no Brasil

Um esquema de ?guerra? foi armado para Tiësto. No sábado, o DJ considerado número 1 do mundo tocou em Ubatuba, São Paulo, e na mesma madrugada teria de marcar presença em Florianópolis, em Santa Catarina. Era o último dia do Festival Planeta Atlântida, o maior encontro sulista de artistas do pop e rock nacional, que ocorre há 10 anos na capital catarinense e há 13 em Atlântida, no Rio Grande do Sul. Ninguém menos que Tiësto seria a atração internacional da vez, ansiosamente aguardado por cerca de 35 mil jovens. O holandês terminou o seu set no litoral paulista por volta das 23h30 e pegou um helicóptero em direção a São José dos Campos, interior de São Paulo. De lá, Tiësto voou num jatinho, acompanhado por produtores e assessores brasileiros e internacionais, e seguiu para Floripa. Seu camarim, trancado com chave, abrigava todos os seus pedidos: 6 garrafas de Vodka Grey Goose Ketel One Label (que custa cerca de R$ 210 cada uma); 1 garrafa de tequila Jose Cuervo Classic; 1 champagne francês Don Pérignon (aproximadamente R$ 190); 2 caixas de coca-cola normal, outras 2 de coca-cola light; 24 latas de Red Bull normal, mais 12 de Red Bull Light; 4 litros de suco de maçã, outros 4 de suco de morango; 2 caixas de água mineral; e 3 bandejas contando frutas da estação e frios diversos. Pensa que ser DJ é fácil? Enquanto a última atração do festival, Papas da Língua, se despedia, Tiësto chegava esbanjando sorrisos a um número considerável de pessoas que o esperavam nos bastidores da arena montada perto da praia de Canasvieiras, norte da ilha. Mordiscava uma ameixa quando conversou com a reportagem, meia hora antes de botar todo mundo para dançar às 4h35 da madrugada. "Minha turnê está sendo maravilhosa. Estive na Praia de Ipanema, no Rio, na semana passada, e 200 mil pessoas foram me prestigiar." Um making of de sua passagem pela Cidade Maravilhosa está circulando no YouTube. Vale a pena aumentar o som: www.youtube.com/watch?v=Ac4xiEl05Qo ou no próprio site do DJ, www.tiesto.com .Seu set, com alguns resquícios inegáveis do trance (passado que vez por outra condena), agitou o público catarinense e muitos turistas até quase 6h30 da manhã. O som do DJ chegou, inclusive, a formar uma inédita sinfonia com os passarinhos que, àquela hora, já anunciavam a manhã, empoleirados em árvores próximas ao local. O show desta sexta-feira, que fará na The Week, em São Paulo, não deve ser muito diferente. "Meu estilo é uma combinação de todos os tipos de melodias eletrônicas. Procuro os elementos melódicos no trance, no house, no tecno", diz. Com essa informação, já adianta o que vem por aí. Na primeira semana de abril, Tiësto lançará seu novo álbum na Europa, intitulado Elements of Life. Existe a probabilidade de sair na seqüência um DVD. No Brasil, o álbum não deve tardar a chegar. Em outubro, o DJ superstar volta para realizar dois sets em São Paulo e no Rio. Ontem, o holandês comemorou seus 38 anos na Museum, balada localizada no bairro paulistano Brooklin, com uma festa fechada para 150 convidados. Agitou a galera com muito house e ganhou um bolo verde-e-amarelo que tinha no topo uma águia, sua marca-símbolo. Afinal, como ele próprio justifica ser considerado o DJ número 1 do mundo, por três vezes consecutivas, em eleição promovida pela revista DJ Mag? "Sou sempre o primeiro a fazer algo novo", diz, sem modéstia. "Tento ser o primeiro em tudo o que faço." O que acha de Fatboy e Van Dyk, grandes DJs que também fazem turnê no País? "Nada. Eu não os ouço. Você não pode compará-los a mim." A repórter viajou a convite da produção

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.