Tetê e Alzira Espíndola trazem a SP as canções do Pantanal

A bordo de uma chalana e outras embarcações fluviais do Pantanal, as irmãs Tetê e Alzira Espíndola viajaram durante 22 dias, entre junho e julho, pelo Rio Paraguai numa expedição cultural-ecológica chamada Água dos Matos. Nesta sexta-feira, no show homônimo, elas apresentam no Sesc Santana parte dos frutos dessa viagem, que realizaram ao lado dos também compositores-cantores Lucina, Jerry Espíndola e da fotógrafa Carol Ribeiro, entre outros. A trupe levou às isoladas populações ribeirinhas oficinas e shows com canções tradicionais da região. Entre elas, os clássicos que Alzira e Tetê registraram no CD Anahí (1998), como Índia (Manuel Ortiz Guerrero/ J. Assuncio Flores), Ciriema (Nhô Pai/Mário Zan), Chalana (Arlindo Pinto/Mário Zan) e Mágoas de Caboclo (J. Cascata/Leonel Azevedo) e vão cantar nesta sexta-feira.Além de contar com projeções de fotos que Carol produziu, o show terá em primeira mão canções compostas pelo quinteto durante a expedição - como Dança dos Camalotes (Tetê e Lucina), Ramagens (Alzira e Carol), Pra Corumbá (Lucina e Jerry) -, que estarão no CD planejado para 2007. Além de um documentário de 30 minutos, eles também pretendem realizar um longa-metragem das 70 horas de imagens gravadas.Houve momentos de interação musical com grupos de moradores e eles chegaram a fazer show para uma única pessoa, habitante solitário de um lugar misterioso chamado Descalvado. "Na viagem tivemos mais contato com o cururu e o piriri", conta Tetê. "As músicas novas têm um pouco de influência desses ritmos e também do canto dos pássaros, como o arancuã", diz Tetê, que se tornou conhecida como a cantora que tem "pássaros na garganta".Mas não foram só encontros felizes. Eles também se chocaram com o acúmulo de lixo nos rios e a destruição provocada pelas chatas (embarcações por meio das quais escoa a produção agrícola) nas margens. Como a expedição também foi com a proposta de realizar oficinas de arte, um dos artistas convidados do grupo ensinou os ribeirinhos a reaproveitar garrafas pet, alertando contra a poluição. "É aquela luta, né? Se a gente não tiver o apoio de um governo, não sei o que vai virar aquilo." Alzira e Tetê Espíndola. Teatro do Sesc Santana (349 lug.). Avenida Luiz Dumont Villares 579, Santana, tele-fone 6971-8700. Hoje às 21 horas. De R$ 7,50 a R$ 15

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.