Testemunhas retratam Jackson como amigo inocente

Após mais de dois meses em que a acusação descreveu Michael Jackson como um pedófilo, o júri agora ouve as testemunhas de defesa, que o caracterizam como um amigo extravagante com quem dividiram a cama, mas com quem nunca tiveram relações sexuais."O rancho Neverland é um lugar feliz onde você pode esquecer os seus problemas", declarou hoje, sexta-feira, Joy Robson, a mãe de um jovem que, segundo a acusação, teria sido vítima dos abusos sexuais do cantor americano há uma década. Além disso, Joy insistiu que nunca viu nada "inadequado" no rancho Neverland enquanto seu filho dividia a cama com o cantor. "Nunca tive nenhum problema com isso", disse ontem, em seu depoimento, Wade Robson, filho de Joy.Robson e Brett Barnes, dois australianos que estão na casa dos 20 anos, foram os primeiros a depôr a favor de Jackson depois de acusação ter encerrado, na quarta-feira, a apresentação de suas testemunhas."Posso dizer agora mesmo que se as coisas tivessem sido diferentes não estaria aqui agora", disse Barnes diante de insinuações sobre o suposto comportamento sexual inadequado de Jackson. O testemunho de Barnes faz parte dos argumentos da defesa para provar a inocência de Jackson, alguém com quem as crianças brincariam de igual para igual apesar dos mais de 20 anos de diferença de idade.Junto com o ator Macaulay Culkin, a acusação assegura que Robson e Barnes fazem parte de um grupo de cinco menores vítimas dos abusos sexuais do cantor na década de 90. Em entrevista de rádio, Culkin, agora com 24 anos, confirmou hoje sua amizade com Jackson, embora tenha afirmado que teria preferido manter-se afastado do processo porque, segundo sua opinião, é "um circo".Famoso protagonista do filme Esqueceram de Mim, Culkin irá depôr na próxima semana e espera-se que ele reitere seu apoio a Jackson, rejeitando as acusações de que também teria sido vítima de abusos sexuais do cantor. Estas insinuações sobre Jackson e estes três jovens nunca chegaram aos tribunais por falta de uma denúncia formal.Jackson, de 46 anos, enfrenta dez acusações, quatro delas de abuso sexual contra um menor que na época tinha 13 anos. Os incidentes teriam acontecido entre fevereiro e março de 2003 no rancho Neverland, de Jackson, na Califórnia. A imagem inocente de Jackson retratada pela defesa foi confirmada por Robson, que agora tem 22 anos. Ele conheceu o cantor quando tinha cinco anos e ganhou um concurso de dança em Melbourne (Austrália).Em suas mais de 20 visitas a Neverland, Robson descreveu suas correrias com Jackson no carrinho de golfe pela propriedade, atirando pedras aos leões para que rugissem e fazendo guerras de travesseiro como duas crianças. Robson não escondeu o fato de que em quase todas as suas visitas ao rancho dormiu com Jackson na sua cama, assim como Barnes.As brincadeiras se parecem com as que foram descritas pela suposta vítima neste julgamento quando foi chamado para depôr. Mas no caso de Robson e Barnes, o maior contato físico que os dois tinham com Jackson era quando o cantor lhes dava beijos na bochecha.A acusação tentou sugerir que Jackson abusou de Robson e Barnes quando os dois dormiam, como alega a suposta vítima. No entanto, Barnes e Robson responderam que a idéia era "pura especulação" e que eles acordariam com "uma coisa dessas".O começo da apresentação da defesa mudou não só o tom das declarações ao júri, como também a atitude de Jackson na pequena sala do tribunal de Santa Maria, Califórnia. O cantor, que está em liberdade após pagar fiança de três milhões de dólares, assiste diariamente ao julgamento, mas seu comportamento é distante. No entanto, o cantor fez uma saudação com a cabeça quando Robson foi depôr e outra quando a testemunha lhe mostrou os polegares, em sinal de vitória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.