Testemunha afirma que Puff Daddy disparou

O julgamento do rapper Puff Daddy prossegue. O músico, que também está nos noticiários por conta do rompimento de seu namoro com a atriz Jennifer Lopez, é acusado de ter provocado um acidente, em 27 de dezembro de 1999, no qual três pessoas ficaram feridas. A confusão ocorreu no Club New York, boate do Times Square, região central de Nova York. Natania Reuben, uma das testemunhas, que saiu ferida do incidente, afirmou ontem sob juramento que viu o rapper norte-americano atirar. A mulher, de 30 anos, foi a primeira a fazer tal afirmação. Até então, as outras pessoas interrogadas disseram que não viram o rapper empunhar uma arma. A bala que teria dado origem à briga nunca foi encontrada, mas a justiça dos Estados Unidos acusa Daddy pelo disparo. Aparentemente, a confusão começou quando o rapper, sem querer, derrubou o drink de outro homem. O rapaz irritou-se e partiu para cima do músico, que sacou sua pistola 9 milímetros automática e atirou para o teto. No quebra-quebra conseguinte, três pessoas ficaram feridas. Puff Daddy, de 31 anos, cujo verdadeiro nome é Sean Combs, pode pegar até 15 anos de reclusão caso seja incriminado. Ele foi indiciado por porte ilegal de arma e por tentativa de suborno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.