Teresa Salgueiro mostra seu capricho refinado no Tom Brasil

Começou com um show para pouco mais de 200 pessoas, no Tom Jazz, na Avenida Angélica, no início de janeiro. Os músicos tinham de, literalmente, rebolar para caberem todos no acanhado palco, já que se constituía de uma pequena orquestra.Agora, o capricho de Teresa vai ser conhecido em 16 países, deve excursionar por França, Itália e Portugal e vai levar coisas raras da música brasileira, como Valsa de uma Cidade, de 1954, de Ismael Neto e Antonio Maria, a ouvidos nunca dantes navegados, além de 21 outros standards brasucas.Trata-se de Você e Eu, show da cantora portuguesa Teresa Salgueiro, que está sendo lançado em disco (EMI Music) com dois concertos no Tom Brasil Nações Unidas. Teresa, a celebrada cantora do grupo Madredeus, enveredou por um universo de clássicos da MPB, escolhendo um período que vai dos anos 1930 aos anos 1970 (Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Chico Buarque, Pixinguinha, Ary Barroso, Dorival Caymmi, Dolores Duran, Luiz Bonfá, Carlos Lyra, Henricão).Habilidosa, charmosa, com um talento imenso, ela não só foi aprovada na tarefa como encantou a platéia de São Paulo, que vai vê-la de novo acompanhada de virtuosos instrumentistas brasileiros - João Cristal (piano), Nailor Proveta (saxofone e clarinete), Marcos Paiva (baixo acústico), Paulo Dafilin (violão), Daniel de Paula (bateria), Maria Diniz e Adriana Dré (backing vocal).Madredeus Quando resolveu vir em janeiro à cidade e gravar, motivada por convite do produtor brasileiro Roberto Bruzadin, Teresa diz que nunca temeu pela repercussão do trabalho. "O que eu tinha mais era curiosidade. Sempre pensei que o mais importante é agradar a nós mesmos, e não no sentido de ficar sossegadinhos, mas de ter gosto naquilo que faz", ela disse na quarta-feira, recém-chegada de Lisboa."A alegria do nosso encontro se ouve no disco, está ali. Não tenho ilusões de agradar a toda a gente, mas é muito bom ouvir o resultado dessa experiência, que foi mostrada naquele espaço tão aconchegante", diz a cantora.Em ano sabático de sua famosa banda Madredeus, que só volta a pesquisar, compor e gravar em 2008, ela reservou o ano para projetos pessoais. Além da excursão com o grupo brasileiro, vai a outros países, como Espanha e Croácia, com o projeto La Serena, que reúne repertório em diversos idiomas. La Serena é canção clássica do cancioneiro ibérico, e ela executa o repertório (as outras músicas são todas do século 20) com um quinteto de cordas, piano e percussão. Teresa Salgueiro. Tom Brasil-Nações Unidas (1.800 lug.). Rua Bragança Paulista, 1.281, 2163-2000. Amanhã, 22 h. R$ 70 a R$ 140

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.