Terceira semifinal do Visa reúne estilos diversos

A terceira e penúltima semifinal do 7.º Prêmio Visa de Música Brasileira - Edição Instrumental reúne hoje, no Tom Brasil da Vila Olímpia, três atrações de estilos bem diversos entre si e que fizeram apresentações marcantes nas eliminatórias. São eles o percussionista Caíto Marcondes, o violinista Ricardo Herz e o Trio Curupira, formado por André Marques (piano), Cléber Almeida (bateria) e Fábio Gouvêa (contrabaixo). Como nas semifinais anteriores, todos representam o Estado de São Paulo. O show de encerramento é de Fernanda Porto. Credenciada como a voz que popularizou o drum´n´bass brasileiro, Fernanda está terminando o segundo CD, com lançamento previsto para este semestre. Impulsionado por sucessos como Sambassim e Só Tinha de Ser com Você, o primeiro vendeu mais de 90 mil cópias e é a base de seu show. Levar artistas populares para encerrar as semifinais é uma estratégia para atrair o público para o prêmio, "É uma boa oportunidade de atrair platéias que normalmente não iriam ao prêmio", diz José Nogueira, produtor executivo do prêmio e produtor musical da Rádio Eldorado, realizadora do Visa.O primeiro a se apresentar hoje é o percussionista Caíto Marcondes. O roteiro começa e termina com duas composições de Caíto. No centro, os clássicos Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso) e Canção da Partida (Dorival Caymmi). Em seguida entra Ricardo Herz, que já tocou na mesma noite que o Trio Curupira, na primeira eliminatória. O roteiro inclui duas composições próprias e traz repeteco de Pixinguinha e Edu Lobo, com Ingênuo e Ponteio, respectivamente. Por fim, o Trio Curupira, de Sorocaba, é uma das sensações desta edição do Visa, que selecionou outros bons exemplares da mesma espécie: o Trio Setó, o Triálogo e Nelson Faria/Ney Conceição/Kiko Freitas. Com sua contagiante mescla de jazz e ritmos brasileiros, o Curupira abre com duas composições de integrantes do grupo: Cataia (Cleber Almeida) e Foi Não Foi (André Marques). Para encerrar, os clássicos As Rosas Não Falam (Cartola) e Samba de Uma Nota Só (Tom Jobim/Newton Mendonça). 7.º Prêmio Visa de Música Brasileira - Edição Instrumental. Terceira semifinal, hoje, no Tom Brasil/Vila Olímpia. Rua das Olimpíadas, 66. Informações pelo telefone 2108-6771 ou pelo site do prêmio. Hoje, às 21 horas. R$ 10.

Agencia Estado,

04 de agosto de 2004 | 12h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.