Terça-feira em SP tem Chico César e Arícia Mess

Dois trabalhos musicais bastante amadurecidos serão apresentados nesta terça-feira em palcos distintos. Chico César faz show, acompanhado pelo contrabaixista Célio Barros, no Teatro Popular do Sesi. A cantora e compositora Arícia Mess mostra as canções do seu CD de estréia, Cabeça Coração, no projeto Prata da Casa, na Choperia do Sesc Pompéia.O conceito de Mama Mundi, novo disco de Chico César, é o de ser mais intimista e acústico que o anterior, Beleza Mano. Nele, o compositor optou pela ausência da formação típica de banda - guitarra, bateria e baixo elétrico. Para esse show, ele dá o pontapé inicial nessa proposta de retomar as suas características mais acústicas, presente na proposta do primeiro disco, Aos Vivos. "Estou querendo começar com o Célio uma célula de experimentação", conta. "Além do fato de o meu trabalho ter nascido acústico, eu quero sair do engessamento da formação da banda." Por esses motivos, Chico César diz que não fará ensaios para as apresentações. "A idéia é improvisar", informa.O espetáculo intimista marca a volta de bem-sucedida turnê no exterior, onde fez cerca de 35 shows em três meses pela Europa, pelos Estados Unidos e Canadá. Recentemente uma coletânea foi lançada nos EUA, com repertório dos discos Cuscuz Clã e Beleza Mano, pela gravadora Puttomayo. Somente no fim de semana passado, ele pôde assistir à peça infantil Amídalas, da qual compôs a maior parte da trilha sonora. "Também tenho uma peça infantil não acabada", conta. "Esse universo lúdico me atrai muito e quero um dia investir nisso."São de sua autoria as dez canções que compõem a trilha sonora original de Amídalas, em cartaz no Teatro Hilton. Chico César conta que os autores Rodrigo Castilho e Marilia Toledo chegaram com a peça em sua casa e praticamente num dia ele compôs tudo, muito naturalmente. A peça narra a história de duas amídalas que entram em crise quando descobrem que serão retiradas do corpo que habitam. Por causa da viagem, ele indicou para fazer a produção musical da peça o compositor Mário Manga. DivulgaçãoJá a intérprete Arícia Mess também não é estreante ou um novo talento, como propõe o projeto Prata da Casa, do Sesc Pompéia. Desde 1993, a carioca tem construído seu trabalho pop, calcado numa ótima interpretação, música eletrônica e influências do soul e do samba, em especial, a música de Clementina de Jesus.O estilo autoral está presente nas composições, a maioria feitas por ela. O disco saiu pelo selo alternativo Orbita e teve co-produção de Carlos Trilha (músico da banda de Marisa Monte). Hoje, ela conta com participação dos músicos Gian Fabra (baixo), Cláudio Bezz (violão e guitarra), Alexandre Fonseca (bateria e samplers), Ricardo Siri (percussão), Dudu Trentim (teclado) e Fernando Morello (voz e teclado).Arícia Mess - Terça, às 21 horas. Choperia do Sesc Pompéia. Rua Clélia, 93, tel.: 3871-7700.Chico César - Amanhã (3), às 21 horas. Entrada franca (retirar o convite 1 hora antes do show). Teatro Popular do Sesi. Avenida Paulista, 1.313. 284-3639.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.