Temptations trazem herança do soul a SP

O grupo vocal The Temptations, formado há 40 anos em Detroit, nos Estados Unidos, está para a soul music mais ou menos como Beatles, Velvet Underground, Clash Smiths e Nirvana estão para o rock."Eu tinha meu próprio grupo, The Distants, e um dia, em 1961, encontrei o grupo The Primes, de (Eddie) Kendricks e (Paul) Williams, e fiquei impressionado com eles - com a qualidade musical de Kendricks e o talento para a dança de Williams", relembra, em entrevista ao Estado, o cantor Otis Williams, o único remanescente da primeira formação.Ele convidou os dois e formou The Elgins, depois rebatizado como The Temptations. Tornou-se a primeira grande usina de hits da então emergente casa discográfica de black music de Detroit, a Motown Records, de Berry Gordy.The Temptations é a grande atração da música negra no Free Jazz Festival, que começa no dia 26 no Jockey Club de São Paulo. Desde terça-feira, não há mais ingressos para o show de Temptations e Macy Gray, no dia 28, domingo.No rol de sucessos eternos do grupo, My Girl (que seu avô, seu pai, sua tia e agora seu sobrinho sabem assobiar de cor e salteado), The Way You Do the Things You Do e Just My Imagination. No início, eles tiveram Smokey Robinson como um dos integrantes e produtores da banda. "Smokey foi muito importante para os Temptations, ele deu ao grupo parte daquele som Motown que se tornou nossa característica", conta Williams.Depois, veio Norman Whitfield, novo produtor e nova abordagem musical. "Whitfield tinha uma personalidade diferente era um estilo mais agressivo, mais cru, urbano, mas ambos foram importantes e definitivos na história do grupo."Com Whitfield, em 1966, eles começaram a fazer uma nova safra de sucessos impecáveis, como (I know) I´m Losing You, You´re Everything e Ain´t too Proud to Beg. Ele ficou até 1975 no grupo. Nesses 40 anos, separaram-se, reencontraram-se, cantaram no enterro de uns e outros e reformularam-se.Otis Williams, o sobrevivente, é uma lenda da música negra. Fará 52 anos dois dias depois do seu show em São Paulo. Nunca veio ao Brasil antes, conta. Os Temptations atuais vêm com cinco cantores, com a formação tradicional (barítono, tenor, baixo) e cinco músicos. Nenhuma seção adicional.O grupo atravessou momentos drásticos. Kendricks morreu de câncer em 1992. Um ano antes, morreu David Ruffin, de overdose, e seu funeral foi pago por Michael Jackson, com astros como Diana Ross e Stevie Wonder entre as estrelas que foram se despedir."Michael é um grande artista, alguém que está crescendo o tempo todo, que nunca se acomoda com um papel e que é também um produtor criativo, um dançarino talentoso e um excepcional entertainer", diz Williams, que vive em Las Vegas.Williams é pura modéstia. Perguntem-lhe o que acha de ser chamado, no site da Motown, de "som clássico da Motown", em contraposição a um som que eles chamam de Motown now (Motown agora). Williams não titubeia. "Acho que é porque nós estivemos presentes no cotidiano de quatro gerações, praticamente, mas tudo que quisemos, nesses anos todos, foi fazer uma boa música para as pessoas dançarem e se divertirem."Segundo ele, o que diferencia sua geração - Diana Ross, Marvin Gaye, Mary Wilson, Florence Ballard - de gente da jovem guarda como Lenny Kravitz, Ben Harper, Macy Gray e outros é basicamente "o processo" do fazer musical. "Adoro todos eles, mas acho que é muito cedo para dizer qual deles vai efetivamente produzir algo que mude a face da música", afirmou.A tecnologia mudou o jeito de fazer música, admite Williams. "Eu comparo nossas gravações de My Girl nos anos 60 com as de hoje e o som agora é mais limpo", ele conta. "Antes, era mais cru, parecia que estávamos cantando no chuveiro, e eu acredito que o jeito de gravar de hoje é muito bom para a música."Autor de incontáveis sucessos, Otis Williams esquiva-se de escolher seu favorito. "Gosto muito de Ball of Confusion (That´s What the World is Today) e Just My Imagination e My Girl, mas também gosto de Four Days, que é o nome do single, uma canção que vai estar no nosso próximo trabalho, que sai no mês que vem", conta.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2001 | 17h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.