Tempestade evitou que Mick Jagger fosse assassinado em 1969

Seguranças de show queriam se vingar do vocalista dos Stones, afirma documentário que será veiculado em rádio

Associated Press,

02 de março de 2008 | 12h17

Mick Jagger, líder e vocalista da banda inglesa Rolling Stones, era alvo de uma tentativa de assassinato que não foi feita devido a uma tempestade, de acordo com um documentário inglês. O programa será veiculado pela BBC Radio 4 na segunda-feira, 3, e indica que o Stone seria morto em 1969. Os detalhes do complô foram revelados por um ex-agente do FBI à rede britânica, que desenvolve uma série de documentários sobre o órgão de investigação americano. Os supostos agressores eram conhecidos como "Hells Angels", uma banda de motociclistas, e queriam matar Jagger depois do trágico show do festival de Altamont, na Califórnia. Os motociclistas seriam responsáveis pela segurança do evento. Durante o festival, um jovem afro-americano chamado Meredith Hunter, de 18 anos, foi assassinado a poucos metros de Jagger por um dos "Hells Angels". Por conta da agressão, Jagger não quis mais contratar os serviços de "Hells Angels".  O ex-agente do FBI Mark Young declarou que integrantes da banda de motociclistas queriam se vingar de Mick Jagger enquanto ele estivesse passando férias de verão em sua casa de Hamptons, em Long Island. De um barco, eles iriam atirar contra Jagger enquanto ele estivesse na praia. A intenção era entrar na casa de Jagger pelo jardim. No entanto, uma tempestade fez o barco em que eles estavam virar. Apesar do incidente, todos sobreviveram. De acordo com o documentário, Jagger nunca foi informado sobre a suposta tentativa de assassinado 

Tudo o que sabemos sobre:
Mick JaggerassassinatoRolling Stones

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.