Teatro Cultura Artística dedica noites ao gênio de Mozart

Eles formam o grande grupo alemão dedicado à execução dos repertórios barroco e clássico dentro da linhagem da música historicamente informada, ou seja, com instrumentos e técnicas de época. E, em ano de comemorações pelos 250 anos de Mozart, os músicos da Akademie für Alte Musik de Berlim engrossam a fila e interpretam dois programas dedicados a Mozart, nesta terça e na quarta-feira, no Teatro Cultura Artística.O conjunto surgiu em 1982, quando uma série de jovens músicos de diversas orquestras da então Berlim Oriental resolveram se reunir em um grupo orquestral autônomo, dedicado à interpretação da música barroca e renascentista em instrumentos de época. Com o tempo, o crescimento da fama do grupo pôde ser medido pelos nomes que a ele foram se associando: René Jacobs, Reinhard Goebel, Ton Koopman, Andreas Staier, Marion Verbruggen - é como uma lista de chamada das autoridades mundiais na música historicamente informada.Tamanho prestígio se traduziu em uma importante relação de gravações. Para o selo Harmonia Mundi, por exemplo, eles gravaram discos dedicados a Telemann, ajudando a tirar do autor a pecha de criador de música fácil, pouco imaginativa. Com René Jacobs, gravaram Bach, incluindo um premiado registro do Oratório de Natal, com a soprano Dorothea Rõschmann, o contralto masculino Andreas Scholl, o tenor Werner Güra e o baixo Klaus H?ger como solistas. O trabalho mais conhecido, porém, deve ser mesmo o disco com a meio-soprano Cecilia Bartoli, que trocou a possibilidade de uma carreira vertiginosa nos palcos por uma vida de pesquisas e descobertas do repertório barroco, contrariando as previsões e se transformando em um sucesso de vendas: eles gravaram juntos um disco dedicado a Gluck, o autor que reformou o gênero operístico.Em São Paulo, esta versatilidade da Akademie será colocada a serviço principalmente da música de Mozart. Hoje, eles interpretam o Divertimento em Fá Maior KV 138, o Concerto para Fagote e Orquestra KV 191, o Concerto para Violino e Orquestra nº 2 KV 211, o Moteto Exultate Jubilate para Soprano KV 165 e a Sinfonia nº 29 KV 201. Amanhã, mantém-se, de Mozart, o Exultate, Jubilate, acrescido da Abertura Sinfonia KV 74 e o Concerto para Flauta e Orquestra KV 313 - o programa tem ainda a Sinfonia em Sol Menor de Beck e a Sinfonia nº 3 em Sol Maior Hob 1:3 de Haydn. Como solistas, o grupo traz a soprano Yeree Suh, a violinista Midori Seiler, o flautista Cristoph Huntgeburth e o fagotista Christian Beuse.MozarteumPelo Mozarteum, estão esta semana na cidade também os Solistas de Trondheim. São 16 jovens músicos vindos da Noruega, com a participação de Per Tengstrand ao piano e Emilian Amper na harpa. A mistura de jovens músicos em torno da busca por novos repertórios parece mesmo dar certo - como a Akademie, os solistas de Trondheim também foram aos poucos cativando grandes músicos do cenário internacional. O grupo foi criado em 1988 e tem uma brasileira entre seus músicos, a violinista Renata Kubala.Os solistas de Trondheim tocam hoje na Teatro Alfa; amanhã, apresentam-se em Santos (Teatro Sesc) e, quinta, em Ribeirão Preto (Teatro Pedro II). O programa das apresentações é o mesmo. Na primeira parte, as Bachianas Brasileiras nº 9, do brasileiro Villa-Lobos, e o Octeto para Cordas Op. 3 em Lá Maior do norueguês Johan Svendsen. Na segunda parte, Abrégé, suíte para harpa e cordas criada a partir de uma melodia folclórica sueca, e o Concerto para Piano nº 13 em Dó Maior K415, de Mozart. Akademie fur Alte Musik Berlin. Teatro Cultura Artística - Sala Esther Mesquita (1.150 lug.). R. Nestor Pestana, 196, 3258-3616. Hoje e amanhã, 21 h. R$ 80 a R$ 170. Solistas de Trondheim. Teatro Alfa (1.134 lug.). Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, 5693-4000, Santo Amaro. Hoje, 21 h. R$ 60 a R$ 150

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.