Mario Anzuoni/Reuters
Mario Anzuoni/Reuters

Taylor Swift ganha cinco categorias no American Music Award

Michael Jackson e Whitney Houston também foram premiados; Lady Gaga se apresentou e incendiou um piano

Efe,

23 de novembro de 2009 | 16h09

A cantora e compositora de country Taylor Swift ganhou o prêmio de melhor artista do ano na 37.ª edição do American Music Award, realizada neste domingo, 22, em Los Angeles.

 

Taylor competia pelo título concedido pelos admiradores com seus votos na internet com o falecido "rei do pop" Michael Jackson, o grupo Kings of Leon, a nova diva do pop Lady Gaga e o rapper Eminem. A cantora country ficou também com o prêmio nas categorias Melhor Artista Pop Rock Feminina, na qual venceu Beyoncé, Melhor Artista Country, Melhor Artista Adulto Contemporâneo e Melhor Disco Country.

 

A jovem cantora não pôde participar da festa que seguiu ao vivo de Londres onde está para seu próximo show, mas agradeceu os prêmios ao entrar no ar via satélite. "Gostaria de estar aí para agradecer a todos", disse.

 

Os prêmios foram concedidos em uma espetacular festa realizada no teatro Nokia Theatre aberta por Janet Jackson com uma versão dos grandes sucessos de seu irmão.

 

O "rei do pop" voltou a ser nomeado este ano para prêmios que dominou durante a década dos 80 na qual conseguiu 20, sendo dez deles em 1984 com seu disco "Thriller", segundo o site do cantor.

 

Seu irmão Jermaine, que foi o encarregado de receber os prêmios em seu nome, não saiu de mãos vazias, já que Michael conseguiu o American Music Awards na categoria de Soul/Rhythm'n'Blues, Melhor Artista Masculino e Melhor Disco de Pop/Rock por "Number Ones".

 

Uma emocionada e recuperada Whitney Houston recebeu o prêmio honorífico International Artist Award por sua prolongada carreira com a qual arrebatou todo o mundo.

 

Lady Gaga se apresentou e no fim botou fogo em um piano, deixando o público boquiaberto. Entre as atuações da noite também se destacaram as das artista portorriquenha Jenniffer López e da colombiana Shakira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.