Supergrupo ScoLoHoFo toca a mais pura essência do jazz

A colaboração entre músicos é muito comum e saudável no mundo do jazz. Isso não acontece apenas nos festivais ou em participações especiais em gravações. Nos últimos anos, a formação de supergrupos tem criado grandes discos de jazz. Bons exemplos são o grupo Fourplay, composto por craques como Larry Carlton e Bob James, e mais recentemente o disco Directions In Music, lançado por Herbie Hancock, Roy Hargrove e Michal Brecker, que concorre este ano a três prêmios Grammy.Esta semana, mais um grupo experiente de músicos de jazz se juntou e lançou um dos melhores discos instrumentais dos últimos anos, Oh!, primeiro CD do supergrupo ScoLoHoFo. Este nome esquisito nada mais é que as iniciais das quatro feras que comandam a banda: o guitarrista John Scofield, o saxofonista Joe Lovano, o baixista Dave Holland e o baterista Al Foster. Se você não conhece esses senhores, aqui vai um pequeno histórico. Lovano foi considerado o artista do ano pela sexagenária revista de jazz Down Beat, em 2001. Scofield é um dos guitarristas mais respeitados do jazz, trabalhou anos com Miles Davis, e acaba de receber mais uma indicação para o Grammy. O mesmo aconteceu com Foster, que por 13 anos foi responsável pela parte rítmica de Davis, além de ter gravado com Hancock e o saxofonista Joe Henderson. Holland também foi premiado pela Down Beat como melhor artista e baixista acúsitco do ano de 2002, além de ser considerado o mais inventivo músico de jazz da atualidade.Com esse currículo, o disco, lançado pela gravadora Blue Note, não poderia ser apenas mais um lançamento. Oh! traz 13 músicas, sendo três compostas por Scofield, três por Lovano, três por Holland e duas por Foster. O quarteto, que chegou a fazer duas turnês, uma em 99 e outra em 2002, se trancou dois dias em um estúdio de Nova York e gravou todas as músicas ao vivo, sem cortes ou edições. A química entre os músicos é perfeita. Entre as faixas onde se destacam solos de todos eles em uma mesma música estão Oh, The Dawn Of Time e Oh I See. Apesar de ser indiscutível o talento individual de cada um, é o sax tenor de Lovano e a guitarra de Scofield que dominam o CD. Lovano fez parte do quarteto do guitarrista entre 89 e 93. Em músicas como a tranqüila Faces e a be bop Shorter Form o entrosamento dos dois é total. As frases tiradas da guitarra fusion de Scofield completam a criatividade e a técnica de Lovano, que também toca com o sax soprano em duas composições, In Your Arms e Bittersweet. Durante uma entrevista para promover o disco, Scofield afirmou que Joe era um irmão musical. ?Temos uma sonoridade juntos que é única?. Para comemorar o lançamento do CD, o grupo faz nesta semana cinco apresentações no clube nova-iorquino de jazz Iridium. É uma rara oportunidade, já que todos têm seus trabalhos solos e dificilmente conseguem uma brecha em suas disputadas agendas. Se você não for um dos privilegiados que assistirá a este encontro, não fique triste. Escutar o CD não será um prêmio de consolação, mas sim uma experiência musical inesquecível. A gravadora EMI do Brasil ainda não tem previsão de lançamento no País.

Agencia Estado,

04 de fevereiro de 2003 | 05h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.