Jotabê Medeiros/Estadão
Jotabê Medeiros/Estadão

Stonesmania em Lisboa

Camisetas e cartazes com a famosa língua estão por toda a cidade, e as rádios e as TVs cobrem ostensivamente a banda

Jotabê Medeiros, Enviado Especial a Lisboa - O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2014 | 09h01

Os franceses Gérard e Odile Justo, de Lyon, foram os primeiros a entrar na fila. "Nossos filhos dizem que é coisa de velho", divertiam-se. Já foram a 15 shows dos Rolling Stones em sua vida pelo mundo afora. Acreditam que vão continuar indo por algum tempo ainda. "Eles não vão se aposentar, isso é besteira, estão em plena forma", diz Gérard na estação de metrô Bela Vista, que dá acesso ao Rock in Rio Lisboa. Gérard sonha ouvir hoje You Can't Always Get What You Want.

Às 9h da manhã desta quinta-feira, 29, já havia fila de fãs na entrada do festival para um show que só começa às 23h45. Alguns dormiam em barracas, como é de praxe. Tomando vinho e posando para fotos e imagens dos meios de comunicação locais. Desde a chegada da banda a Lisboa, na terça, 27, acendeu-se a stonesmania na cidade. Os metrôs estão lotados de gente com camisetas e bandanas. O restaurante onde Mick Jagger jantou, no Mercado da Ribeira, triplicou os pedidos de mesas desde a noite de terça. Camisetas e cartazes com a famosa língua estão por toda a cidade, e as rádios e as TVs cobrem ostensivamente a banda.

Ingressos esgotados: os primeiros fãs na fila para os Rolling Stones no Rock in rio Lisboa

Curioso: já houve mais Rock in Rio em Lisboa do que no Rio. Os Stones estão celebrando 10 anos e seis edições do festival aqui em Portugal, e no Rio de Janeiro houve apenas quatro edições.

Os Stones fariam a passagem de som no Parque da Bela Vista por volta das 11h30 da manhã, com um esquema de segurança reforçado para não vazar nada. O guitarrista Gary Clark Jr., que abre seu show (e é um darling também de Eric Clapton, abriu show do guitarrista no Brasil), tocará antes e ensaiou de manhã.

Apesar de todo o frisson, especulação não é um bom negócio em Lisboa. Um cambista brasileiro vendia 7 ingressos a 72 euros cada, que é o quase o mesmo preço da bilheteria (mas os ingressos estão esgotados desde que se iniciou a venda). Ao meio-dia, ainda não tinha vendido nenhum. Segundo estimativas, os Stones foram a banda que mais ganhou dinheiro com turnês em sua carreira de 52 anos, exatamente US$ 1,5 bilhão. 

Tudo o que sabemos sobre:
Rock in RioLisboaRolling Stones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.