Stones tocam para Clinton, mas cancelam show em NY

Os Rolling Stones transferiram o show que fariam nesta terça-feira no Beacon Theatre, em Nova York, para quinta-feira, porque o vocalista da banda, Mick Jagger, com laringite, precisa descansar a voz, de acordo com comunicado postado pela banda no site oficial. Outras datas da turnê A Bigger Bang pelos Estados Unidos sofreram alterações. O show em Oakland, agendado para o dia 5 de novembro, acontece agora no dia 6; o grupo vai para Los Angeles no dia 22, onde faz show no Boardwalk Hall, e não mais no dia 18; a apresentação em Vancouver, que seria em 3 de novembro, foi remarcada para o dia 25. Jagger, roqueiro de 63 anos, está com laringite e o problema já obrigou os Stones a adiarem um show em agosto. A banda já cancelou ou adiou várias datas de sua turnê européia por motivo de doença de um ou outro membro do grupo.A Electric Factory Concerts, promotora do show previsto para esta terça-feira, informou que a nova data da apresentação deverá ser informada em breve.No domingo, cantaram para a família ClintonNo domingo, os Rolling Stones fizeram um show beneficente na festa de comemoração dos 60 anos do presidente Bill Clinton, gravado pelo cineasta Martin Scorsese (TaxiDriver e O Aviador), que prepara um DVD sobre alendária banda de rock britânica.Jagger demonstrou que já vê Hillary Clinton como a próxima presidente dos Estados Unidos. "Gostaria de dar-lhe as boas vindas, presidente Clinton. Já vejo que traiu seu marido", disse o líder dos Stones, segundo o jornal Daily News, em uma clara referência às eleições presidenciais norte-americanas de 2008.Hillary, senadora pelo estado de Nova York, quer ser candidata do Partido Democrata nessas eleições e se tornar a primeira mulher a ocupar a Casa Branca.O show, que contou também com a participação de Jack White, Christina Aguilera e Buddy Guy, foi beneficente para a fundação que leva o nome do ex-presidente e que mantém programas de luta contra a aids, obesidade infantil e aquecimento global.Além de sua família, Clinton esteve acompanhado por muitos amigos, como o ex-presidente checo Vaclav Havel, a cantora Sheryl Crow, o cantor Elvis Costello e sua mulher, a também cantora Diana Krall, o ator Michael J. Fox e membros do Partido Democrata Steve Bing e Terry McAuliffe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.