Dave Alloca/AP
Dave Alloca/AP

Stones, Springsteen e Nirvana fazem show para vítimas de 'Sandy'

Evento arrecadou US$ 35 milhões apenas com a venda dos ingressos

Teresa de Miguel - Efe,

13 de dezembro de 2012 | 12h54

NOVA YORK - Os Rolling Stones, Bruce Springsteen e uma longa lista de estrelas da música se reuniram nesta quarta-feira, 12, no Madison Square Garden de Nova York para ajudar as vítimas da tempestade "Sandy" em um espetáculo histórico que promoveu a primeira reunião do Nirvana desde o fim da banda, tendo Paul McCartney como vocalista.

"Esta tem que ser a maior coleção de velhos músicos ingleses já reunida no Madison Square Garden. Se chover em Londres vão ter que nos ajudar também, ok?", brincou Mick Jagger após levantar, com You Got Me Rocking, o público que lotou a famosa casa de espetáculos.

Os Stones, que tocaram no sábado passado no Brooklyn como parte da comemoração de seu 50º aniversário, encerraram sua passagem pelo Madison Square Garden com Jumpin' Jack Flash, sacudindo as quase 13.500 pessoas que conseguiram um ingresso para o espetáculo.

O lendário grupo de rock britânico foi só um dos muitos pontos altos das quase seis horas de música do "12/12/12", como foi chamado o show, que começou com as palavras de esperança e sonho de Land of hope and dreams, do também mítico roqueiro Bruce Springsteen.

"Esta noite é uma oração por nossos irmãos e irmãs de Nova York e Nova Jersey que continuam mal", disse "The Boss" antes de cantar Wrecking Ball e My City of Ruins, canções que falam de Nova Jersey, sua cidade natal, e que tocou acompanhado de sua inseparável E Street Band.

O autor de sucessos como Born In The U.S.A, que explicou como foi "doloroso" ver a "especial" costa de Nova Jersey destruída pela tempestade, também entoou outras canções como Born to Run, mas dessa vez com a ajuda de seu "vizinho" e também estrela do rock Jon Bon Jovi.

Já sozinho, Bon Jovi fez todo o auditório cantar em coro com seu eterno hit Living on a Prayer, que iniciou a capella em um dos momentos mais emocionantes da noite, carregada de apresentadores famosos como Billy Cristal, Katie Holmes, Quentin Tarantino e Adam Sandler - que se atreveu a fazer sua própria versão do Aleluia.

Somente com a bilheteria do espetáculo, que custavam de US$ 150 a US$ 2.500, foram arrecadados US$ 35 milhões para a fundação Robin Hood.

Além disso, a gravadora Columbia arrecadará fundos com a venda de um álbum com 24 canções do show, no qual também se deixou ver a faceta mais "blues" de Eric Clapton e um surpreendente dueto entre o cantor do Pearl Jam, Eddie Vedder, e o ex-líder de Pink Floyd, Roger Waters.

Um dos momentos mais especiais foi a apresentação do ex-Beatle Paul McCartney, que não só deu esperança às vítimas da tempestade "Sandy" com Blackbird, mas por alguns momentos "se tornou" Kurt Cobain na primeira reunião dos ex-integrantes do Nirvana, Dave Grohl e Krist Novoselic, desde o fim da banda, há quase 20 anos.

O espetáculo foi retransmitido ao vivo em 30 sites, 37 canais de televisão nos EUA, outros 200 no exterior e projetado em cinemas de todo o país, e sua audiência pode ter chegado a 2 bilhões de pessoas, tornando-se o espetáculo de maior público de todos os tempos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.