SP festeja aniversário com agenda repleta de shows

O páreo é duro. New Orleans, nos Estados Unidos, tem seu carnaval ao ar livre que ninguém sabe dizer como começou ou se um dia terá fim. Montreal, no Canadá, vira um fuzuê geral em junho, quando dezenas de palcos são erguidos pela cidade para a festa que os canadenses juram ser o maior evento de jazz do mundo. E dos inúmeros festivais de verão de Londres, na Inglaterra, bandas de rock alternativas saltam do underground para a fama em apenas uma noite.São Paulo quer chegar lá. Ao menos este ano, a lista de convidados para seu aniversário - comemorado amanhã - é digna das festanças internacionais. Sem falar na programação especial das casas noturnas e dos centros de cultura, como Sesc e Sesi, a Prefeitura providenciou 81 palcos para espalhar música de graça pelos bairros. Se em cada um deles se apresentarão dez atrações - que começam entre 19h de hoje e 17h de amanhã - conclui-se que serão 810 artistas que estarão na ativa. Algo como ainda não se viu em um 25 de janeiro.O evento batizado Capital da Música teve como inspiração as festas de posse dos presidentes americanos e os festivais de música que ocorrem na França. "Quisemos trazer para São Paulo a idéia de se realizar shows simultâneos por toda a cidade. Creio que nunca tenha acontecido algo parecido", comenta o produtor Jacinto do Amaral, da Secretaria Municipal de Cultura.Os shows principais estão reservados para as 17h de amanhã, na Praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira, em Santana. A "elite" das atrações é formada por Titãs, Rita Lee e os convidados Roger (Ultrage a Rigor), Edgard Scandurra (Ira!) e Paulo Ricardo (RPM). Resta saber se a organização será eficiente para tanto. As Administrações Regionais foram responsáveis pela seleção das atrações. A aparelhagem, a segurança e o equipamento para os palcos foi cedido pela Prefeitura.Anônimos - A prefeita Marta Suplicy divulgou que, em parcerias com empresas, levantou R$ 1,4 milhão para tirar o projeto do papel. A ajuda das rádios, que serão beneficiadas por fazerem a propaganda de suas marcas nos shows, garantiu a presença de nomes mais populares, como Alexandre Pires, Sampa Crew, Sensação e Pixote. Não significa que só entrou quem teve poder de fogo das emissoras. Grande parte dos artistas é formada por nomes desconhecidos.A Praça da Paz do Parque do Ibirapuera, local sempre usado para eventos musicais, sediará um único show no calendário das comemorações. Inspirado nas apresentações de Luciano Pavarotti, Plácido Domingos e Jose Carreras, os brasileiros José Silveira, Marcelo Vanucci e Rubens Medina formaram os Três Tenores Brasileiros. Eles se apresentarão amanhã, a partir das 11h.No repertório, lembrando as apresentações populares dos Três Tenores originais, estarão, além de árias de óperas como Il Guarany, de Carlos Gomes; Il Barbieri de Siviglia, de Rossini; Norma, de Bellini e Carmen, de Bizet, músicas populares italianas como O Sole Mio, Mattinatta, Musica Proibita e ´Non Ti Scordar di Me. Nem o prédio da Assembléia Legislativa, no Ibirapuera, escapou da comemoração do dia 25. Suas dependências serão usadas, a partir das 11h de amanhã, para os shows de Jairzinho de Oliveira, Max de Castro, Baião de Quatro e Trio Crispiniano. Só a zona leste terá 30 palcos para atrações independentes; a oeste, 6; a sul, 11 e a norte, 7. Se der certo, a idéia é repetir tudo no ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.