Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Sony volta a fabricar discos de vinil após quase 30 anos

A decisão de retornar foi devido a crescente demanda no mundo por este formato de música analógico

EFE

29 de junho de 2017 | 11h11

A Sony anunciou nesta quinta-feira que voltará a fabricar discos de vinil, depois que decidiu cancelar sua produção em 1989, devido ao aumento da demanda global por este formato de música analógico.

A Sony Music Entertainment, braço musical do conglomerado japonês, decidiu retomar a produção de vinis durante o exercício em curso em suas duas fábricas situadas no Japão, conforme confirmou à Agência Efe uma porta-voz da empresa, que não quis revelar o volume de produção previsto.

A empresa japonesa interrompeu a fabricação para uso doméstico destes discos em 1989, devido à crescente fatia do mercado musical monopolizada pelos CDs, o formato físico digital que a própria Sony ajudou a desenvolver e começou a distribuir em 1982.

Agora, a Sony pretende se readaptar ao renascimento que vive o vinil, graças às vendas de álbuns de segunda mão e ao número crescente de novos lançamentos no antigo suporte analógico.

Além disso, a Sony Music instalou um novo estúdio de gravação no centro de Tóquio concebido especialmente para produzir os 'masters' dos quais serão geradas as cópias em vinil e aproveitar melhor a qualidade deste formato, segundo a porta-voz.

As vendas de vinis no Japão chegaram a cerca de 800 mil unidades em 2016, oito vezes mais que em 2010, segundo dados da indústria musical do país.

Esta tendência também está sendo observada em outros lugares, como o Reino Unido - onde as vendas de vinis no ano passado chegaram a superar às de música em formato digital - e os Estados Unidos, onde 17,2 milhões de discos foram vendidos em 2016.

Tudo o que sabemos sobre:
Sony

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.