Sony fecha as portas na Bolívia

A gigante da indústria fonográfica mundial Sony Music encerrou as operações na Bolívia. Segundo Demian Solares, executivo responsável pela empresa no país, a decisão de pôr fim as atividades foi motivada pela pirataria, que causou à Sony perdas de US$ 1,3 milhão. Para ele, o fechamento não é surpresa. "As coisas já não vinham bem nos últimos três anos", disse, acrescentando que a recessão no país agravou a crise.A última cartada da Sony na Bolívia foi associar-se às filiais em países da região, como Chile, Peru, Paraguai e Argentina. Também não deu certo. Agora, manterá no país apenas uma central de distribuição. Solares admite que será ainda mais difícil para um artista boliviano gravar pela Sony.A pirataria na Bolívia alcança 85% do mercado, um dos mais altos índices no continente, e causa perdas de até US$ 23 milhões à indústria de entretenimento, conforme dados extra-oficiais. No ano passado, Warner, BMG e EMI Music já haviam abandonado o mercado boliviano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.