Vera Donato
Vera Donato
Imagem Roberta Martinelli
Colunista
Roberta Martinelli
Som a pino
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Som a Pino: ‘Voltei’

É a minha coluna de volta da licença-maternidade. Nesses meses em que estive fora foram tantos lançamentos musicais que vamos ter de nos atualizar

Roberta Martinelli, O Estado de S. Paulo

07 de maio de 2019 | 02h00

Esta é a minha coluna de volta da licença-maternidade. Peço, então, uma pequena licença nesta coluna de música para falar justamente disso. Calma. Juro que eu serei breve. Prometi a mim mesma não fazer isso, mas é mais forte. Ainda mais nesta semana. Sim, eu agora sou mãe. Sim, aquela data comercial vai me cair como uma luva. Me disseram que era assim a maternidade: um eterno cuspir para cima e cair na testa. Cá estou eu de volta, com a testa ensopada e o coração cheio de amor, mesmo com tudo que tem acontecido no Brasil. 

HOMENAGEM

Mas o que raios isso da maternidade tem a ver com uma coluna musical? Tem sim! Pois semana passada nos deixou Beth Carvalho – mãe, avó, mulher, madrinha do samba, uma verdadeira lutadora que nos emocionou em vários momentos da vida, e a mim especialmente, ao fazer um show deitada com o grupo Fundo de Quintal em setembro de 2018. 

 

Quando penso naquela imagem, eu choro. Ela ali no palco, exercendo sua arte. Que força, que mulher! O público, na ocasião, gritava “guerreira” e ela foi mesmo – a vida toda. “A alegria é uma forma de resistência. O samba é a minha essência, cantar é minha razão”, escreveu Beth. Tinha de começar assim. Precisava falar dela. Uma pequena homenagem. 

 

LANÇAMENTOS

E agora sigo...

Nesses meses em que estive fora foram tantos lançamentos que vamos ter de nos atualizar. Jards Macalé lançou um disco de inéditas, seu Besta Fera. Jorge Mautner lançou o disco com o maravilhoso título Não Há Abismo em Que o Brasil Caiba (qualquer semelhança com a realidade não é nada coincidência) – os dois discos feitos com novos encontros com Tim Bernardes, Tono, Ava Rocha, Romulo Fróes, Kiko Dinucci... – esses dois seguem sempre à frente. Outro lançamento que eu recomendo é o disco Folhuda, terceiro da cantora, compositora e instrumentista Juliana Perdigão com produção dela e do Thiago França – um verdadeiro encontro de som e poesia. 

 

Nas composições, parcerias com Arnaldo Antunes, Paulo Leminski, Bruna Beber, Angélica Freitas. 

E ainda Thiago Pethit lançou o tão aguardado Mal dos Trópicos, Liniker e os Caramelows lançaram o Goela Abaixo (segundo disco depois de um sucesso e tanto), Francisco, el Hombre, o Rasgacabeza, Pitty, Black Alien, O Terno, Barbara Eugênia, Baiana System...

Tanto a falar. Tanto a ouvir. Tanto para resistir. 

2019, a arte segue forte. 

Bom estar de volta com tanto a dizer.

Esta primeira coluna é minha abertura do ano. Temos de pensar, trocar, conversar, avançar e vamos cantando, pois dizem que vai passar. 

Música da Semana

Eminência Parda

Essa é a primeira música do próximo disco do artista (usei artista, pois ele faz tanta coisa que achei que resumia) Emicida com participação de Dona Onete, Jé Santiago e Papillon. 

O lançamento está previsto para o dia 9 de maio nas plataformas de streaming e com videoclipe. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Stan Lee: todas as 29 aparições nos filmes da Marvel
  • Projeta Brasil do Cinemark apresenta filmes brasileiros por apenas R$ 4
  • Glória Maria faz cirurgia para remover lesão cerebral e passa bem
  • MIS abre novo lote para exposição imersiva de Da Vinci 
  • Mônica San Galo lamenta morte de Jesus Sangalo: 'pode-se morrer de mágoa'

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.