Imagem Roberta Martinelli
Colunista
Roberta Martinelli
Som a pino
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Som a pino: ‘Oba, lá vem ela...’

Atriz, compositora e cantora Thalma de Freitas está em estúdio, gravando dois discos

Roberta Martinelli, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2019 | 03h00

Hoje, na coluna, eu escrevo sobre uma artista que foi muito cobrada. Muito mesmo. Eu mesma, já me peguei inúmeras vezes perguntando: “Quando ela vai lançar disco?”. E agora que, finalmente, tenho uma resposta eu escrevo para anunciar que o disco está em produção. E não é um disco só. São dois. Obrigada, Thalma de Freitas, pela resposta. 

Thalma é atriz, compositora e cantora. Começou cantando com o pai que a levava pra fazer jingles em Brasília com a Banda do Brejo, ou dar canja em bares ou até participar em apresentações da Banda Mantiqueira ainda adolescente, aos 16 anos. Depois ela foi para o teatro, e de lá para a TV onde fez 16 novelas, 2 minisséries, 2 filmes. Lançou um belíssimo EP em 2005 com seis músicas, depois fez parte da Orquestra Imperial e algumas participações em discos de outros artistas. Aí, se mudou para Los Angeles, teve uma filha e agora está em São Paulo por um curto tempo. Aliás, na quarta-feira, dia 14 de agosto, tem show dela no Sesc Santana. 

Thalma de Freitas está em estúdio, gravando dois discos. Um deles leva o nome especial de uma frase que foi muito usada para se referir a ela durante a vida toda: A Filha do Maestro. Thalma é filha do pianista, arranjador, compositor e maestro Laércio de Freitas, nome fundamental da música instrumental brasileira. E o disco foi gravado com ele, o multi-instrumentista Arismar do Espírito Santo, o filho dele Thiago Espírito Santo e Carlos Bala na bateria.

No repertório, composições de Thalma gravadas por outros artistas como Íris e Arco, gravada por Filipe Catto e Ecstasy, parceria de Thalma com João Donato gravada por Gal Costa; além de músicas inéditas. E o outro disco é completamente inédito, gravado com Mateus Aleluia, voz e violão. As músicas do repertório são “canalizações espontâneas, folclore espiritual”, como nomeou a própria cantora. 

O tempo passa. Aposto que hoje o maestro Laércio de Freitas também é conhecido por alguns como o pai da Thalma. E, dentre tantas maneiras que podemos ser conhecidos, acho um elogio ser a filha do maestro (um pai tão fundamental para a nossa música) ou o pai da atriz e cantora.

Música da semana

Casa Branca

Primeiro single da filha caçula de outro maestro, pianista e compositor importantíssimo e fundamental para a nossa música: Tom Jobim. Maria Luiza Jobim se prepara para lançar o primeiro trabalho solo que deve chegar em outubro. Enquanto isso soltou uma canção com um belíssimo vídeo com imagens de arquivo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.