'Só há futuro para quem corre riscos'

É assim que pensa Mani, do Primal Scream, atração do festival Planeta Terra

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

07 de outubro de 2009 | 08h40

O rock’n’roll está muito conservador, muito paradão, seja na new rave dos Klaxons ou no pop progressivo do Muse. "Rock’n’roll é arriscado, é perigoso. Não é seguro. Você tem de correr riscos e tentar suas chances", ensina Gary "Mani" Mounfield, baixista do grupo escocês Primal Scream, que falou ao Estado por telefone na manhã desta terça, 6.

 

BOBBY GILLESPIE - O ex-baterista do Jesus and Mary Chain

virou homem de frente do Primal Scream

O apelido Mani foi dado ao músico pelo pai, um fanático admirador do futebol dos anos 60, e foi uma tentativa de homenagem a um anjo torto do futebol, Mané Garrincha. "Meu pai adorava aquele time do Brasil, e o Garrincha era o mais imprevisível e fascinante do time", conta o hiperativo baixista, delirante torcedor do Manchester United, figuraça do rock system.

 

O Primal Scream, a banda fundada por Mani e pelo vocalista Bobby Gillespie em Glasgow, em 1984, é uma instituição do rock, e está de volta 5 anos após a última apresentação aqui. Foi confirmada como uma das grandes estrelas da terceira edição do festival Planeta Terra Festival, que reúne14 atrações nacionais e internacionais no dia 7 de novembro, no parque de diversões Playcenter, em São Paulo.

 

O primeiro lote de ingressos para o Planeta Terra já se esgotou e o segundo lote está à venda no site e nos pontos de venda da Ticketmaster, a R$ 170 a inteira e R$ 85 a meia entrada. Também já está definida a divisão dos palcos (veja a escalação completa abaixo).

 

 

Veja também:

linkO espírito antigeracional dos Killers

linkO pandemônio otimista do Pet Shop Boys vai invadir o Brasil

linkFranz Ferdinand 'inventa' sistema de distribuição musical 

 

Desde 2000, quando lançou o virulento Xtrmntr e injetou na velocidade das pistas o DNA roqueiro de músicas como Swastika Eyes, o Primal Scream deixou o mundo dos grupos triviais para se tornar uma referência fundamental. Em 25 anos de existência, já legou diversos filhotes célebres, como o Kasabian. A banda chega a bordo de um disco com nome sugestivo, Beautiful Future, no qual contaram com uma participação especial, a cantora Lovefoxx, da banda brasileira Cansei de Ser Sexy.

 

Beautiful Future foi produzido por Bjorn Yttling (Peter, Bjorn & John) e Paul Epworth (Bloc Party) e, além de Lovefoxx ("Rapaz, que garota! Ela é demais!", conta Mani), traz participações de Josh Homme (Queens of the Stone Age) e a lenda folk Linda Thompson. "É um disco com uma pegada mais pop. O otimismo do título se refere à forma como a banda tritura diferentes estilos, sem nunca se fixar em um apenas. A música nunca se acomoda, está sempre em movimento", diz Mani.

 

De fato, é possível achar, na trajetória do Primal Scream, sons que podem ser catalogados como punk, dance, house, electro, acid house. Seus integrantes estão na base das formações originais de grupos seminais do rock alternativo, como Jesus and Mary Chain e Stone Roses. Emplacaram duas músicas na trilha do cult movie Trainspotting (Miss Lucifer e Swastika Eyes), e também estão na trilha do game Grand Theft Auto: San Andreas. E ao vivo, no TIM Festival de 2004, fizeram uma das memoráveis performances de uma banda britânica em solo pátrio.

 

O baixista, que às vezes ataca de DJ, defende esse ecletismo em todas as frentes. "Como DJ, toco de tudo: electro, Byrds, reggae. Não fico preso apenas a um gênero", conta. Ele revela que, ao escolher um produtor para um novo disco, o Primal Scream usa a seguinte estratégia: deixa que as músicas compostas revelem o perfil do novo parceiro. "É um tipo de desafio sonoro que a canção propõe. No caso do último disco, precisávamos de alguém com alguma habilidade poppy, e então chegamos a esses caras."

 

De acordo com a organização, o público que for conferir o Planeta Terra Festival 2009 poderá se divertir em alguns brinquedos do parque Playcenter, que estarão funcionando. Como nas edições anteriores, o Terra TV transmitirá o evento ao vivo. Em 2008, o Planeta Terra recebeu 15 mil pessoas, que viram shows de Kaiser Chiefs, Bloc Party, Offspring, The Jesus and Mary Chain, entre outros. A censura é de 18 anos.

 

Escalação - dia 7 de novembro

 

SONORA MAIN STAGE:

16h – Macaco Bong

17h30 – Móveis Coloniais de Acaju

19h – Maximo Park

20h30 – Primal Scream

22h15 – Sonic Youth

0h – Iggy Pop and The Stooges

2h – Etienne de Crecy

 

COCA-COLA ZERO STAGE

18h – Ex!

19h30 – Copacabana Club

21h – Patrick Wolf

22h30 – Metronomy

0h – The Ting Tings

1h30 – N.A.S.A.

3h – A. Rother

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.