Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Slipknot prova, em 5 motivos, que mereceu encerrar a noite do Rock In Rio

Banda faz show épico no fim da noite desta sexta-feira, 25

Pedro Antunes, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2015 | 02h02

Peso não faltou. O Slipknot foi escolhido para encerrar a última noite dedicada ao rock do Rock In Rio, na sexta-feira, 25, e não decepcionou. O grupo liderado por Corey Taylor foi o único a realmente movimentar a Cidade do Rock, num dia morno e som baixo. 

Entrada com estilo

Teatralidade é uma arma usada a favor do Slipknot. A entrada dos mascarados é como uma fuga em massa de um manicômio infernal.

Palco especial 

A banda trouxe sua estrutura de palco para o Rock In Rio e isso faz toda a diferença. Pirotecnia e ponte para perto do público dão ainda mais impacto. 

Rodas de pogo

Em um dia morno como está sexta-feira, o rock não teve lá seu grande momento. Até o Slipknot. Em frente ao Palco Mundo, quatro grandes rodas de pogo se formaram. Aí, sim, estamos num show de rock. 

A primeira impressão é a que fica 

Um show que começa com pesos-pesados como XIX, Heretic e Psycosocial ganha o público que gosta de peso logo de cara. Segredo de quem entende do que faz. 

Atenção aos hits

Por mais que seja uma banda pesada, o Slipknkt entende que se melódico é essencial. Sessões especiais para hits como Devil And I e Duality são vitais. Mais um ponto para Corey Taylor e companhia. 

Tudo o que sabemos sobre:
Rock in RioMúsicaCultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.