Skank comemora dez anos com disco ao vivo

Gravado em Ouro Preto, na Praça Tiradentes, o novo CD do Skank é o primeiro registro fonográfico ao vivo do grupo e o pioneiro na série MTV Acústico e Ao Vivo a ser feito ao ar livre. Os demais foram sempre produzidos em casas noturnas, teatros e estúdios montados especialmente para esse produto da emissora. MTV ao Vivo Skank (Sony Music) marca também a carreira de 10 anos da banda que nesse período tem mantido um público fiel. É um álbum de hits coerente com a sua trajetória.Como afirma Samuel Rosa, principal compositor do conjunto, o lançamento do disco ao vivo do Skank é quase tardio. "Comparando com outras bandas de mesmo porte dessa cena musical a gente já poderia ter lançado um álbum ao vivo. Simplesmente pelo fato de que, gravando discos desse tipo em períodos mais curtos, as fases da banda ficam mais bem retratadas", analisa. "Porém, é muito interessante registrar um trabalho para gerações diferentes: uma que conheceu o Skank do sucesso Garota Nacional e o Skank de Canção Noturna.Quanto à legitimidade do disco ao vivo, neste caso, não há muito o que se questionar. O grupo não pode ser acusado de oportunista, tendo em vista que o CD anterior, Maquinarama, do ano passado, apontava um novo caminho da carreira da banda. Ponto para eles. Mas isso também não significa que o grupo está sempre dando novos passos. Tem um público fiel, mas não é o queridinho do momento. E o grupo tem de se cuidar para não cair na mesma vala do Jota Quest, com seus hits grudentos."É natural também que a gente tenha escolhido quatro músicas de Maquinarama, porque ele reflete o que pensamos hoje, a nossa linha musical. Nós nos demos conta durante a produção dele que temos muito que aprender em estúdio e que queremos explorar esse lado", conta Samuel Rosa. "Eu passei a olhar para o trabalho em estúdio de uma outra forma em Maquinarama."Mesmo afirmando a importância do último trabalho, o grupo não renega os hits passados e deu uma nova roupagem a eles, mudando alguns arranjos. Já nesse trabalho apenas uma canção inédita, Acima do Sol, parceria de Samuel Rosa e Chico Amaral. Será também o DVD desse show, que teve cerca de duas horas. O programa televisivo é mais compacto, com 40 minutos.Samuel atribui parte da qualidade do novo trabalho ao clima de Ouro Preto. Em torno de 30 mil pessoas assistiram às duas apresentações, realizadas num fim de semana de julho. "A cidade se mobilizou para os shows. Isso deu uma outra relevância a esse registro", diz o compositor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.