Site vai oferecer mais de 25 milhões de músicas gratuitas

Qtrax anuncia parceria com grandes gravadoras, mas três delas, Universal, EMI e Warner, negam o acordo

BBC,

28 Janeiro 2008 | 11h09

Após passar uma década tentando combater a pirataria de músicas pela internet, parte da indústria fonográfica decidiu liberar, a partir desta segunda-feira, 28, o acesso gratuito a mais de 25 milhões de canções pela internet.   O serviço de música online Qtrax anunciou, no domingo, 27, uma parceria com grandes gravadoras, incluindo EMI, Sony BMG, Universal Music e Warner Music, que vai possibilitar que usuários baixem de graça títulos dos mais variados gêneros, desde grandes hits da atualidade até clássicos e raridades.   Porém, nesta segunda-feira, 28,  segundo o site do jornal The Guardian, três das quatro maiores gravadoras do mundo negaram permissão de uso da obra de seus artistas. Universal, EMI e Warner disseram que não firmaram nenhum acordo com o site Qtrax. A Sony BMG, deve seguir a decisão.   Como parte do acordo, artistas e gravadoras serão pagos conforme o número de acessos às suas músicas e ainda receberão uma fatia do que for arrecadado com os anúncios publicitários feitos na página da Qtrax. Empresas como Microsoft, Mc Donald’s e Ford já revelaram que serão alguns dos anunciantes.     Segundo o Guardian, o executivo de marketing do projeto, Robin Kent, admitiu ao site de negócios Silicon Alley Insider nesta semana que apesar dele ter "a bênção das quatro maiores companhias fonográficas, duas ou três delas estão mais felizes com isso do que outras duas", e não podia confirmar que nenhum acordo havia sido fechado. Para o jornal inglês, a posição das gravadoras compromete o futuro do site Qtrax.   Os donos do site se pronunciaram nesta segunda-feira, 28, sobre a recusa do contrato pela Warner, dizendo que um acordo foi alcançado entre as duas empresas. "Nós estamos em discussão com a Warner Music Group para assegurar que o serviço seja licenciado. Esperamos que esse acordo seja firmado o mais rápido possível", disseram.   Anúncio   O anúncio foi feito pela empresa americana Qtrax durante a abertura da 42.ª edição do Midem (Mercado Internacional do Disco e da Edição Musical), a feira mundial da música, em Cannes, na França, com explicação detalhada do procedimento para dounload.   Segundo instruçõe do site, para acessar as músicas, o usuário terá de ir ao site da Qtrax e baixar um software específico. Atrelada à nova ferramenta, está o software Digital Rights Management (gerenciamento de direitos digitais, em tradução livre), que permitirá às gravadoras checarem quantas vezes suas músicas foram baixadas e tocadas.   O serviço será disponibilizado por meio de uma rede "peer-to-peer" (P2P) de compartilhamento de arquivos pela internet.   Ipod     As músicas que poderão ser baixadas pelo Qtrax não serão compatíveis - pelo menos em um primeiro momento - com o iPod. Mas a empresa, que passou os últimos cinco anos desenvolvendo a nova ferramenta, já anunciou que está estudando uma "solução para o iPod", a ser disponibilizada em 15 de abril. Cerca de US$ 30 milhões (R$ 53 milhões) foram investidos pela Qtrax na nova tecnologia.   O chefe-executivo da empresa, Allan Klepfisz, disse que os consumidores "agora poderão compartilhar música legalmente pela internet". "Nós queremos poder disponibilizar música de graça num ambiente de total legalidade que permitirá que os artistas sejam pagos".   Resta saber se isso vai mesmo acontecer ou não passa de um boato.   (Matéria alterada às 16h30 com alteração de informação)      

Mais conteúdo sobre:
música internet

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.