Divulgação
Divulgação

Site de Renato Russo é inaugurado

Página estreia com material básico

Renato Vieira, O Estado de S. Paulo

28 Março 2014 | 10h58

Atualizado às 11h45

Apesar da instabilidade no acesso, o site de Renato Russo (www.renatorusso.com.br) está no ar desde a meia-noite desta sexta-feira. Segundo responsáveis pela produção do site, foram mais de 100 mil acessos em onze horas, o que derrubou o sistema. O problema, de acordo com eles, está sendo resolvido.

A página, que compila boa parte da produção do artista, tem por enquanto baixo teor de novidade, mas sintetiza o legado do líder da Legião Urbana através de material multimídia, incluindo fotos, vídeos e informações sobre a carreira. A tendência natural é que o conteúdo vá se ampliando e daí possam surgir coisas surpreendentes.

Destacam-se na página uma galeria de fotos inéditas, a seção 'Renato Russo disse', atrelada a um perfil do Twitter (@rrdisse) – com frases como 'Eu sou psicótico, igualzinho ao Axl Rose' e 'Eu não falo porque quero salvar alguém. Eu falo porque gosto. Quem sou eu para salvar alguém? Eu é que tenho que me salvar!' – e uma página de vídeos. Dividida em categorias, ela redireciona o visitante para o YouTube, onde estão disponíveis apresentações da banda no programa Globo de Ouro e duetos com amigos.

Na parte de manuscritos inéditos há o material mais curioso: os esboços "encontrados recentemente" de Monte Castelo, lançada no álbum As Quatro Estações (1989). O que se vê em meio aos seis papéis disponíveis é a concepção metódica de Russo. Ele fez versões nas quais fala de violência e intolerância, analogia com o título da música. O local foi palco de uma batalha no final da Segunda Guerra Mundial, e boa parte do contingente da Força Expedicionária Brasileira (FEB) foi morta no conflito.

Em uma delas Russo faz referência explícita à batalha. 'Um dia então nosso menino virou homem/ E foi pra Monte Castelo com os nazistas acabar'. Em outra tentativa de letra, o compositor proclama: 'Não vai ter aula porque a professora levou um tiro durante a manifestação'. A versão foi descartada. Mas parece ter sido feita hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.