Sinfônica de SP define temporada 2003

O oratório O Rei Davi, obra dadécada de 20 do compositor francês Arthur Honegger, vai abrir nodia 13 de março a temporada 2003 da Orquestra Sinfônica doEstado de São Paulo. Sob o comando do diretor artístico JohnNeschling, o grupo fará 46 programas ao longo do ano, com apresença de artistas convidados e um repertório que reúne obrasde diversos períodos e gêneros de composição. Entre os regentes convidados, o destaque é o alemão KurtMasur, diretor da Orquestra Nacional da França, que, em 2001, járegeu o grupo e agora volta à cidade para conduzir ainterpretação de uma de suas especialidades, a Sinfonia nº 4de Brahms, além de obras de Schumann e Beethoven. Além dopróprio Neschling e de seu diretor artístico adjunto, RobertoMinczuk, também regerão a Osesp nomes como Christian Arming,Asher Fisch, Theodor Guschlbauer e o compositor chinês Tan Dun. Muitos dos solistas que tocarão com a Osesp neste ano jásão conhecidos do público paulistano. Entre os brasileiros, ospianistas Nelson Freire, Jean-Louis Steuerman, Linda Bustani eArnaldo Cohen (que faz sua estréia com a Osesp dirigida porNeschling). Há também o violoncelo de Antonio Meneses que, alémde concertos com o grupo, participa de recitais de música decâmara com músicos da orquestra. A violoncelista Heloísa TorresMeirelles também está na programação. Os pianistas dominam a temporada e, de fora, vêm àcidade Alexander Toradze (que esteve aqui no ano passadointerpretando Prokofiev ao lado da Filarmônica de SãoPetersburgo), Dimitri Akexejew, Nelson Goerne, o duo Dezsö Rankie Edit Klukon e Bruno Leonardo Gelber. Entre os violinistas, a brasileira Elisa Fukuda, odinamarquês Nikolaj Znaider e a georgiana Elisabeth Batiashvili,que causou boa impressão ao tocar com a Osesp há dois anos oConcerto Op. 61 de Beethoven. O saxofonista Léo Gandelman ecantores brasileiros, como o tenor Eduardo Itaborahy, a sopranoAndrea Ferreira, a meio-soprano Celine Imbert e o barítonoRodolfo Giuliani, somam-se à lista de artistas convidados. NaomiMunakata e o Coro da Osesp continuam em 2003 com sua série deconcertos especiais. Repertório - A música da segunda metade do século 19 eda primeira do século 20, período que tem se tornadoespecialidade do grupo, compõe a base do repertório dosconcertos. Mahler, Strauss e Schoenberg, porém, convivem ao ladode Bach, Beethoven, Tchaikovski, Bernstein, Stravinski, Tan Dune dos brasileiros Villa-Lobos, Edino Krieger, Francisco Braga eClaudio Santoro, entre outros. A temporada está dividida em nove séries de assinaturas- Jacarandá, Ipê, Cedro, Mogno, Carnaúba, Imbuia, Pau-Brasil,Jequitibá e Araucária (formada por seleção de programas dasoutras séries). Os preços variam de R$ 140 a R$ 300 e maisinformações podem ser obtidas pelo telefone (0--11) 3351-8200até o dia 1º de março.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.