Sinfonia Cultura celebra a ópera

A meio-soprano Celine Imbert e asoprano Edna D´Oliveira são as convidadas do concerto que aSinfonia Cultura faz domingo no Sesc Belenzinho, na zona lesteda capital. As duas vão interpretar - sob regência do maestrouruguaio León Halegua - trechos de óperas de Carlos Gomes,Mascagni, Offenbach, Verdi e Puccini. Também participa dorecital o Coral da Associação Brasileira A Hebraica de SãoPaulo.O programa terá início com a execução do Prelúdio doprimeiro ato da ópera La Traviata, de Giuseppe Verdi, após oqual Celine interpreta a ária Quale Orribile Pecatto daFosca, de Carlos Gomes. Em seguida, Edna canta a ária deMusetta de La Bohème, de Puccini, de quem serãointerpretados também o Intermezzo de Manon Lescaut e oDueto das Flores de Madama Butterfly. A orquestra toca,então, o Prelúdio da Carmen, de Bizet, ópera da qual Celineinterpreta também a Habanera. Da Cavalleria Rusticanaserá mostrada a cena da procissão, com Celine e o coro. As duascantoras voltam a se unir para a Barcarolle dos Contos deHoffmann, de Offenbach.Os papéis que Celine interpreta são alguns dosprincipais de seu repertório atual. Carmen, Santuzza - que elafez há dois anos no Teatro Alfa - e Fosca, ao lado da Fricka, daValquíria, ou mesmo da Odaléa, do Condor (estes dois eminterpretações bastante destacadas no Festival Amazonas deÓpera) têm marcado suas últimas apresentações no Brasil.No caso de Edna D´Oliveira, o recital a encontra em um momentode afirmação de um repertório. Musetta, diz ela, "é um papelperfeito" para sua voz, confortável - um dos cinco que elagostaria de ter como base de sua carreira (os outros são: aJulieta de Bellini, a Susana das Bodas de Fígaro, aMarguerite do Fausto e a Micaela da Carmen)."Butterfly é um papel que posso fazer em recitais comoesse, de pequenos trechos. Mas o papel inteiro, sei que nãoposso fazer. Apesar de dizerem que eu devo cantá-lo, prefiroesperar alguns anos."A conversa com Edna mostra uma cantora preocupada com oscaminhos de sua voz. Em busca de oportunidade de desenvolver orepertório que acredita ser o melhor para sua voz, ela aceitouum convite para ir a Londres. Fez audições, batendo o pé porpapéis que acredita poder cantar. "Tive de recusar algumascoisas, o que não é exatamente bom, em especial quando se estáchegando ao exterior. Mas não podia apostar numa carreira queduraria, desta forma, muito pouco."No fim das contas, ela conseguiu um contrato, ao lado deseu marido, o baixo José Gallisa, em uma companhia inglesa. Mas,por enquanto continua no Brasil. "Com as condições econômicasatuais, viver na Europa sem bolsa é impossível. Ainda maisporque este ano cinco óperas, nas quais eu cantaria aqui noBrasil, foram canceladas. Então não pude guardar muitodinheiro."Concertos Sesc & Sinfonia Cultura. O Fascínio da Ópera. Com as sopranos Céline Imbert e Edna D´Oliveira. Regência de LeónHalegua. Domingo, às 11 horas. R$ 5,00. Sesc Belenzinho -Teatro. Avenida Álvaro Ramos, 915, tel. (11) 6602-3700.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.