Sinais de Herbert Vianna animam equipe médica

O cantor e compositor Herbert Vianna, de 39 anos, vocalista da banda Paralamas do Sucesso, apresentou ao longo do dia uma "evolução favorável" de seu quadro clínico e, segundo os médicos, os riscos de ele ter uma vida vegetativa são inferiores a 5%. Eles acenaram ainda com a possibilidade de o músico não ficar paraplégico. A avaliação foi feita pelo pneumologista João Pantoja, e pelo neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho. "O estado dele ainda é grave, mas bem menos do que quando foi internado", resumiu Pantoja. "Os sinais que ele apresenta nos levam a um otimismo cauteloso."Boletim médico divulgado às 11h30, que levou em conta a tomografia computadorizada do cérebro do músico, indicou que suas lesões mantinham aspecto semelhante ao revelado em exames anteriores. "Algumas lesões mudaram um pouco de densidade, mostrando que os edemas e os pontos de hemorragia estão entrando em processo de absorção, estão cicatrizando", explicou Niemeyer. "O pior que pode acontecer, é ele ficar em estado vegetativo, não acordar. Mas essa é a hipótese menos provável; eu diria que há menos de 5% de chance de isso acontecer", avaliou Niemeyer.Segundo o médico, Herbert apresenta lesões cerebrais múltiplas e, por enquanto, é difícil avaliar que tipo de seqüela poderá ter. "Há a possibilidade também de que se recupere muito bem e de que as lesões não deixem seqüelas para sua vida prática." O boletim informava também que a cirurgia para a descompressão da medula espinhal e a fixação da coluna, realizada anteontem, foi um sucesso."A operação vai dar a ele a chance de não ficar paraplégico, embora isso não seja certo. Antes ele não tinha chance nenhuma, mas agora vai ter", afirmou Niemeyer. Na cirurgia foi constatado que a meninge - membrana que envolve a medula - não foi atingida. "Existe a possibilidade de, se tiver havido lesão na medula, não ter sido completa", disse o neurocirurgião.O músico ainda não apresenta reflexo nas pernas. Quando sair do coma, deverá ser submetido a um exame de ressonância magnética para avaliar a extensão dos danos. O boletim apontava ainda que Herbert Vianna apresentou uma evolução favorável do quadro respiratório e seus pulmões mostraram melhora gradativa."Houve uma melhora acentuada do quadro respiratório desde a internação até esse momento", afirmou João Pantoja, diretor-médico do Copa D´Or. "O risco de infecção é contínuo enquanto o paciente estiver com o respirador. Mas o que a gente está observando é que está melhorando; a expectativa é de que ele dependa cada vez menos da máquina", disse Pantoja.Segundo o médico, a equipe iria começar ontem a fazer ajustes no nível de sedação para avaliar até que ponto o paciente está comandando sua respiração. O músico se encontra em coma "relativamente profundo" e vem recebendo sedativos para aceitar melhor o respirador. De uma maneira geral, na avaliação médica, o quadro clínico do músico é positivo. "Os sinais vitais estão estáveis, ele não apresenta febre, a pressão arterial e intracraniana são estáveis", enumerou Pantoja. O pneumologista, no entanto, não descartou o risco de vida. "Ele corre risco de vida porque está num CTI, está criticamente enfermo", explicou. "Mas o fato de termos o quadro clínico estabilizado em 48h é um prognóstico muito importante."Para os médicos, o mais importante daqui para frente é evitar o surgimento de infecções ou qualquer outro tipo de complicação. "Se a cada dia ele se mantiver igual é uma vitória", disse Niemeyer. Visitas - O baterista João Barone e o baixista Bi Ribeiro passaram o dia de ontem no hospital, fazendo companhia ao pai de Herbert Vianna, Hermano Vianna. O produtor Maurício Valadares e o guitarrista Dado Villa-Lobos também estiveram no Copa D´Or. "Estou otimista, acho que ele está melhorando", afirmou a atriz Fernanda Torres que, junto com o marido, o diretor Andrucha Waddington, prestou solidariedade à família do músico. Durante a madrugada, a cantora Sandra de Sá e o vocalista do grupo Cidade Negra, Toni Garrido, estiveram no hospital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.