Shows ajudam a aquecer o ambiente para a posse de Barack

Cerca de 400 mil pessoas acompanharam as apresentações de Bono, Shakira, entre outras estrelas da música

EFE

19 de janeiro de 2009 | 16h13

Bono, Bruce Springsteen, Shakira e outras estrelas da música participaram nesta segunda-feira, 19, de um grande show em Washington em homenagem a Barack Obama, que será investido terça como o 44.º presidente dos Estados Unidos.   Os presentes, cerca de 400.000, segundo a Polícia de Washington, se reuniram na esplanada em frente ao monumento de Abraham Lincoln (1861-1865), o 16.º presidente do país, e uma figura histórica pela qual Obama manifesta admiração.   O megaevento musical, que atraiu pessoas de todas as raças e idades, foi batizado com o nome de We Are One (Somos Um), em linha com a mensagem de unidade de Obama, que assistiu ao espetáculo junto a sua família e o vice-presidente Joe Biden.   "É emocionante ver jovens e adultos reunidos aqui aos pés da escadaria de onde Martin Luther King pronunciou há 46 anos seu discurso 'Eu Tenho um Sonho'", disse Cheryl Collins, uma enfermeira afro-americana.   A história americana esteve hoje presente no concerto prévio à posse de Obama, no qual Martin Luther King III rendeu tributo à figura de seu pai, o líder dos direitos civis assassinado há 40 anos.   A ele se uniram atores como Tom Hanks, que lembrou as palavras de Lincoln - que no meio de uma guerra civil que dividiu os EUA e na qual os estados do sul defendiam seu direito de manter a escravidão - proclamou que ele não seria nem escravo nem patrão.   Foi Lincoln também, lembrou Hanks, que defendeu um Governo do povo, para o povo e pelo povo. As passagens históricas lidas por Hanks e os também atores Jamie Foxx, Forest Whitaker, Denzel Washington e Jack Black se intercalaram com as diferentes interpretações musicais.   O encarregado de abrir o evento musical foi Springsteen, que cantou The Rising, um tema que nasceu como uma convocação para agir após os atentados do dia 11 de setembro contra os EUA, e que passou a simbolizar o nascimento de uma nova era na política americana.   Pelo palco passaram também Jon Bon Jovi, que assegurou que se a mudança está se aproximando, Sheryl Crow e William, que interpretaram o clássico One Love.   A eles se somaram Mary J. Blige, John Legend, John Taylor, Stevie Wonder, Usher Raymond e a diva do soul Beyoncé, que entoou o hino americano.   Um dos grandes momentos aconteceu com a aparição do cantor de música country Garth Brooks, que acompanhado por um enorme coro uniformizado em vermelho e azul, cores junto com o branco da bandeira americana, fez uma interpretação de Shout.   Mas, foi o irlandês Bono que conseguiu mobilizar a multidão com alguns de seus clássicos como In the name of love, que aqueceu o frio do inverno que gelou este domingo a água do tanque em frente ao monumento de Lincoln.   E após o cantor de U2 chegou a verdadeira estrela da noite, Barack Obama, que após presenciar grande parte do show por trás de um vidro blindado, saltou ao palco para pronunciar uma mensagem de unidade e esperança. "Podemos conseguir qualquer coisa", declarou, entre as ovações dos presentes.   "Não há obstáculo que possa interpor-se no caminho de milhões de vozes que exigem uma mudança", acrescentou. Os presentes, sobretudo os afro-americanos, não esconderam a emoção perante o momento que se avizinha.   "Na terça-feira será o dia mais feliz da minha vida", disse Cloe Washington, uma funcionária de Chicago, de 51 anos, que está estes dias de visita à capital.   "É o momento pelo qual estou esperando desde que comecei a votar quando tinha 18 anos", acrescentou. O evento, que foi cercado por uma forte medida de segurança e que provocou o fechamento de várias ruas no centro da cidade, contou também com a presença de membros do futuro Governo como Eric Holder, candidato a secretário de Justiça, e Timothy Geithner, aspirante a liderar o Departamento do Tesouro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.