Showbiz prefere os Beatles

E deu Beatles mais uma vez. Nova enquete da Rolling Stone elegeu a banda de Liverpool como a mais influente da história. A diferença é que a votação foi feita junto a um seleto grupo de 55 executivos, historiadores e estrelas da música, incluindo Bono Vox, do U2, Art Garfunkel, Paul Simon, Moby, Pete Townshend, do The Who, Slash, ex-guitarrista do Guns N´Roses, entre outros.A pesquisa foi feita por ocasião dos 50 anos do rock and roll, que na interpretação da revista nasceu exatamente em 5 de julho de 1954, quando Elvis gravou That´s All Right. A propósito, na lista dos imortais, Elvis ficou em terceiro, atrás de Bob Dylan.A edição de abril da revista traz perfis dos 50 maiores nomes do rock, segundo a enquete, assinados por outros 50 artistas e produtores. Escrevem Elvis Costello (sobre os Beatles), David Grohl (Led Zeppelin, 14º), Iggy Pop (Bo Diddley, 20º da lista), Moby (Jerry Lee Lewis, 24º), Eddie Vedder (The Who, 29º), Britney Spears (Madonna, 36ª), Lou Reed (David Bowie, 39º) e outros mais.E nada impede que uma estrela passe de analista a analisado. Billy Joel escreve sobre Elton John, que por sua vez escreve sobre Stevie Wonder. E enquanto Bono comenta a obra de Elvis, e The Edge, a do The Clash, seu U2 é tema de artigo de Chris Martin, do Coldplay. James Taylor analisa a instituição Simon & Garfunkel, enquanto Paul discorre sobre The Everly Brothers, e Art examina Sam Cooke. A única exceção é Little Richard, o 8.º da lista, que não viu problema em discutir a sua própria influência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.