Reprodução de cena de 'Rooftop Performance | The Beatles: Get Back' / Disney +
Reprodução de cena de 'Rooftop Performance | The Beatles: Get Back' / Disney +

Show dos Beatles no alto de prédio será exibido nos cinemas dos EUA

Em 30 de janeiro, 53 anos depois da 'peraltice histórica', salas Imax vão mostrar o show e uma entrevista com o diretor Peter Jackson

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2022 | 05h00

Os cinemas dos Estados Unidos farão exibições de uma parte do especial de Peter Jackson sobre os bastidores até então pouco conhecidos de um projeto que se tornaria o álbum Let It Be, do Beatles. No dia 30 de janeiro, quando serão completados exatos 53 anos desde o famoso show no telhado da sede da Apple Corps, em Savile Row, Londres, as salas norte-americanas com tecnologia Imax vão exibir a apresentação que fecha o documentário disponível hoje apenas na plataforma Disney+.

The Beatles: Get Back – The Rooftop Concert terá as imagens já retrabalhadas por Jackson ainda mais otimizadas para serem exibidas nas telas gigantes. Após o filme, Jackson vai participar de uma sessão online especial de perguntas e respostas que será transmitida simultaneamente para todos os locais Imax. Os ingressos já estão à venda para o projeto que, a princípio, será realizado apenas nos Estados Unidos.

O documentário de Peter Jackson, diretor também de O Senhor dos Anéis, segue rendendo discussões e debates. A demora de mais de 50 anos para que tais imagens viessem à tona é motivo de suspeita de que houve muita negociação do que mostrar e, sobretudo, do que não mostrar a respeito do clima vivido durante as gravações do projeto.

Especula-se também que haja mais material a ser lançado e que logo Jackson deva anunciar a sequência do doc. Apesar de estarem envolvidos na produção, Paul, Ringo ou qualquer representante da família de Lennon ou George Harrison não se pronunciaram.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.