Show do rapper 50 Cent promete lotar o Pacaembu

O rapper norte-americano 50 Cent está no Brasil, carregando cicatrizes de nove tiros pelo corpo e algumas estocadas de faca que levou na cadeia, para fazer show hoje, às 22 horas, no Pacaembu, secundado pelos rappers nacionais Marcelo D2, Negra Li, Rappin´ Hood e O Rappa. É um dia histórico, não só pela presença de 50 Cent. É o primeiro show de estádio do hip-hop no Brasil, o que mostra o gênero sedimentando sua presença no mercado. 50 Cent, apesar de causar frisson por onde passa - no final de agosto, foi expulso do palco no festival de Reading, na Inglaterra, debaixo de uma chuva de garrafas atiradas pelo público -, é um sujeito que parece até cavalheiresco, como demonstrou em conversa com o Estado, também em agosto (Leia aqui: O rapper milionário 50 Cent faz show em SP). Aos 28 anos, ele é um dos expoentes do chamado gangsta rap (rap de gângster), um tipo de hip-hop misógino, violento, materialista, e que projetou ídolos (alguns deles já mortos, em circunstâncias violentas) como Tupac Shakur, Notorius Big, Biggie Smalls. Geralmente, artistas que ficam milionários muito rápido (o hip-hop é o gênero mais vendido nos Estados Unidos) e cultuam um tipo de vida hedonista, andam com escolta armada e em limusines brilhantes. Eleito o artista-revelação pelo Video Music Award da MTV americana em 2003, 50 Cent tem até sua própria grife, a G-Unit Clothing Company. Mais de 300 homens contratados e 200 policiais militares farão a segurança no show hoje. Até o começo da semana, tinham sido vendidos apenas cerca de 10 mil ingressos (a organização espera 35 mil pessoas) e não havia nenhum setor esgotado. Os portões do Pacaembu serão abertos às 15 horas. Às 17 horas, entra em cena Negra Li, que faz seu número em 30 minutos. Rappin´ Hood toca 40 minutos, a partir das 18 horas. Marcelo D2 segura a onda entre as 19 e as 19h45. Depois, é a vez de O Rappa, que toca uma hora e 15 minutos, a partir das 20h15. E, para encerrar a noite, 50 Cent. Chimera Hip Hop - Estádio do Pacaembu. Praác Charles Müller, s/n.º, 2162-7250. Hoje, a partir das 17 horas. R$ 30 a R$ 100

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.