Show do Audioslave atrai milhares em Cuba

Milhares de cubanos se apertaram na avenida da praia de Havana (o Malecón) para prestigiar o primeiro grande concerto de rock de uma banda americana ao ar livre na ilha caribenha comunista. O grupo Audioslave - formado por ex-integrantes do Rage Against the Machine - recebeu uma permissão rara de ambos os governos cubano e americano para se apresentar na ilha.O som do grupo, uma mistura de rock e grunge, sacudiu os cubanos da sexta-feira à noite até o sábado de manhã. A platéia nem parecia que vive em uma ilha controlada rigorosamente: barulho, latas de cerveja no chão e até sendo jogadas no restante da platéia. Os fãs de rock em Cuba há anos reclamam que deixam de ouvir o rock americano na ilha simplesmente por motivos políticos. Eles parecem ter desejado, neste show, recuperar o tempo perdido. O show só pôde acontecer com a permissão das autoridades americanas e cubanas, num aparente acordo estratégico para deixar a política de fora. A banda se apresentou numa praça da "região Anti-Imperialista" - como o Malecón é conhecido, devido ao grande número de protestos que acontecem no local contra os EUA. Para se ter uma idéia, havia ali um pôster nazista pregado, chamando os Estados Unidos de um país fascista. O pôster foi retirado da praça dias atrás. Apesar de poucas pessoas em Cuba acreditarem que performances como a do Audioslave aproximarão os dois inimigos ideológicos, a esperança aqui é de que mais grupos de rock americanos passem a saber que tocar em Cuba não é impossível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.