REUTERS/Mario Anzuoni
REUTERS/Mario Anzuoni

Show de tributo a Chris Cornell teve de Miley Cyrus a Foo Fighters

O line-up de estrelas ainda incluiu membros do Soundgarden e do Audioslave, Adam Levine, Brandi Carlile, Miguel, Chris Stapleton, Ryan Adams e o Temple of the Dog

Jonathan Landrum Jr., AP

17 de janeiro de 2019 | 10h50

LOS ANGELES — Membros do Metallica e do Foo Fighters fizeram shows eletrizantes e pessoas da família deram discursos emocionados em memória de Chris Cornell (1964-2017).

A esposa de Cornell, Vickey, subiu ao palco com dificuldades de falar a princípio. Mas depois de se recompor, ela eventualmente agradeceu todo mundo pelo apoio e falou sobre o legado de seu marido no show de tributo chamado I Am the Highway: A Tribute to Chris Cornell na noite de quarta-feira, 16, no Forum, em Inglewood, California.

Chris Cornell morreu aos 52 anos em maio de 2017. A morte foi suicídio.

"Chris sobrevive, um imortal da música cuja paixão por ajudar os outros está viva hoje e para sempre", disse Vickey Cornell, que foi apresentada pelo ator Josh Brolin. O show ajudou a levantar fundos para a Chris and Vickey Cornell Foundation e para a Epidermolysis Bullosa Medical Research Foundation.

Cornell foi um líder do movimento grunge com o Soundgarden, banda de Seattle, fazendo sucesso ainda jovem. Mas ele também teve outros projetos, como o Audioslave, o Temple of the Dog e discos solo.

"Esse evento evidencia sua contribuição para a história da música além dos gêneros e das gerações", disse Vickey. "Todos sabemos como a música pode nos transformar. Mas Chris fez algo mais extraordinário. Ele mudou a música... esse legado e influência vai durar gerações."

Jimmy Kimmel apresentou a maior parte do show de cinco horas, que levou uma plateia lotada através da carreira e do catálogo de Chris Cornell, com performances dos membros do Soundgarden e do Audioslave. O line-up de estrelas ainda incluiu Miley Cyrus, Adam Levine, Brandi Carlile, Miguel, Chris Stapleton, Ryan Adams e o Temple of the Dog.

O guitarrista do Audioslave, Tom Morello, disse que Cornell "batalhou com demônios" mas fez algumas das "maiores músicas de rock and roll de todos os tempos".

"Ele provou que poderia misturar rock de arena, riffs com letras inteligentes e atitude punk rock", disse. "Estamos tristes que ele partiu. Mas a memória de seu poder rock sem limites, seu peitoral definido e do seu cabelo escandalosamente perfeito, e sobretudo sua música, viverão para sempre."

Depois que o Foo Fighters fez três versões de músicas de Cornell, o vocalista Dave Grohl ficou no palco para tocar Everlong.

"Acordei triste hoje", ele disse. "Com todo esse amor, a pessoa que mais gostaria de ver isso não pode estar aqui esta noite. Então essa música é para ele."

Veja vídeos do show tributo a Chris Cornell:


 


 


 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Chris CornellSoundgardenmúsicarock

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.