EVELSON DE FREITAS/
EVELSON DE FREITAS/

Shakira se diz libertada, compondo uma música de cada vez

Cantora conta que estava indecisa sobre a produção de um novo álbum

John Pareles, The New York Times

21 de junho de 2017 | 11h45

Não faz muito tempo, a compositora e popstar Shakira estava indecisa se um dia produziria um novo álbum. “Estava com muitas dúvidas e achava que nunca mais faria boa música novamente”, disse ela em uma entrevista na suíte de um hotel em Midtown Manhattan, para promoção de seu novo álbum, El Dorado, lançado na sexta-feira.

As músicas do álbum na maior parte são em espanhol, língua natal da cantora – embora seja fluente em inglês – e são composições que falam de amor ao som de ritmos latinos. O título do álbum é baseado na mítica cidade dourada tão procurada pelos europeus.

Encontrar inspiração e entender que ela sempre esteve presente o tempo todo, este foi meu El Dorado. O perfeito estado de espírito”, disse ela.

E a inspiração voltou, quando decidiu então produzir um novo álbum – mas uma música de cada vez. “Foi uma libertação”.

Shakira Isabel Mebarak Rioll tornou-se uma superstar na América Latina nos anos 90 e ficou conhecida em todo o mundo com seu álbum “Laundry Service, lançado em 2001, que continha mais músicas em inglês, com mais de três milhões de cópias vencidas só nos Estados Unidos. As músicas inspiradas em fontes globais, seu sorriso de menina e os quadris sinuosos a tornaram uma sensação no campo dos vídeos de música. Chegou a vender dezenas de milhões álbuns. Colaborou com Beyoncé, Rihanna e Wyclef Jean (no grande sucesso internacional Hips don’t lie), foi jurada do programa The Voice e gravou o hino da Copa do Mundo Waka, Waka (This Time for Africa) que propiciou seu encontro com o jogador de futebol espanhol Gerard Piqué, pai dos seus filhos.

Mas nos últimos tempos Shakira ficou absorvida em cuidar dos dois filhos do casal, hoje com dois e quatro anos de idade. Produzir seu álbum Shakira, lançado em 2014, uma imersão nas áreas do rock e na dance music eletrônica, uma clara tentativa de agradar as rádios especializadas em música, exigiu dois anos difíceis, mas as vendas não foram um grande sucesso.

Quando vou me aposentar? Shakira perguntou ao marido. A resposta dele: “Quando não tiver nada para dizer. Mas este momento ainda não chegou”.

“O espírito criador dentro mim estava necessitando desesperadamente de atenção. Mas meu filho de dois anos também. A mãe e o criador estavam brigando dentro de mim, e foi uma fase muito turbulenta”, disse ela.

O momento decisivo surgiu no ano passado quando ela voltou às suas raízes colombianas. O compositor Carlos Vives, que faz muito sucesso no mundo de língua hispânica com músicas baseadas nas tradições colombianas como o Vallenato, música tradicional do país ao som do acordeão, enviou a ela seus demos para seu próximo álbum.

“Percebi que havia potencial, mas que eu queria realmente por a mão na massa” Ela compôs um refrão pop, Llevame em tu bicicleta, que se transformou na música La Bicicleta. Um videoclipe mostrando Shakira e Vives pedalando e dançando na costa caribenha e retornando aos locais que fazem referência à sua infância, foi lançado e a música foi um sucesso em toda a América Latina.

“Mostramos a Colômbia como eu a vejo, na minha infância e não como muitas pessoas imaginam. Não é a Colômbia de Pablo Escobar, que se tornou um clichê. Quis mostrar a outra face, a face verdadeira, o país que os colombianos vivem”

Tendo terminado a composição ela percebeu que poderia começar a pensar em outra. “À medida que a música migra para as plataformas de streaming, fica mais fácil divulgar minha música, uma de cada vez”, disse ela. Tão logo terminava de compor uma música entrava em contato direto com meus fãs e a publicava. O que mudou completamente o jogo. Em vez de pensar em escalar o monte Everest, decidi me fixar em cada trecho do caminho”.

O novo álbum traz uma música que já se tornou um megasucesso: Chantage, um dueto provocante com a cantora colombiana Maluma, ídolo do pop latino. “Sou uma masoquista”, canta Maluma. “Com meu corpo sou egoísta”, Shakira responde.

Desde seu lançamento no ano passado, Chantage já foi visto mais de 1.2 milhão de vezes no YouTube e 326 milhões no Spotfy.

O álbum tem mais uma colaboração com Maluma: Trap, uma balada que funde o pop em língua espanhola com o ritmo do R&B. Outros duetos no álbum incluem Déjà Vu, uma “bachata” (dança originária da Republica Dominicana, uma mistura de bolero, cha-cha-cha e tango) que ela canta com o dominicano-americano Prince Royce; Me Enamoré, música romântica composta por Shakira e o produtor espanhol Rayito; Perro Fiel, outro dueto que combina o pop e o reggae, com o cantor Nicky Jam; e What We Said, música em inglês com uma batida de reggae, o toque de uma guitarra africana e vocal de Nasri Atweh, do Magic.

“Durante minha vida inteira insisti em fazer pausas no caso de muitas coisas da minha vida pessoal para seguir meus sonhos, meus sonhos profissionais, tornar-me uma artista de sucesso. E de repente as coisas mudaram, eu me tornei mãe, com uma família com a qual sonhei desde menina. Mas então, quando o espírito criador dentro de mim pediu também para ser levado em consideração, minha música se tornou minha forma de evasão e o estúdio o lugar que me permitia desafogar, deixar um pouco a vida quotidiana como mãe – e se tornou meu hobby.

E então se tornou um prazer, como todo hobby. Agora a música é o meu hobby. Jamais pensei que um dia diria isto. É uma loucura”.

Tradução de Terezinha Martino

Tudo o que sabemos sobre:
Shakira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.